header top bar

section content

Depois de sofrer acidente de moto, vereador sertanejo morre após complicações de saúde

Por conta de complicações nos rins o estado de saúde do vereador acabou se agravando

Por

22/04/2015 às 07h40

O vereador estava internado no Trauma de Campina Grande (Foto: internet)

Faleceu na noite da segunda-feira (20), no Hospital de Trauma de Campina Grande, o vereador José Petrônio Dantas de Sousa, conhecido por "Dedé de Boalô" (PSDB), 44 anos de idade, da cidade de São José de Espinharas, no Sertão.

José Petrônio sofreu um acidente na PB-247 entre as cidades de Patos e São José de Espinharas, na quarta-feira (15). De acordo com informações da Polícia, a moto, que o vereador pilotava colidiu violentamente na traseira de uma carroça de tração animal e com o impacto o joelho de José Petrônio teve uma fratura exposta. Após o acidente a vítima foi socorrida, inicialmente para o Hospital Regional de Patos e em seguida transferida para Campina Grande.

Por conta de complicações nos rins o estado de saúde do vereador acabou se agravando, inclusive ele chegou a ter problemas nas artérias necessitando amputar uma de suas pernas. O vereador acabou não resistindo.

O corpo será encaminhado para Patos e será velado na residência de familiares na Rua Capitão Crizanto, bairro Santo Antônio. Nesta quarta-feira (22) o corpo do vereador será trasladado para São José de Espinharas, cidade onde exerceu mandato de vereador por 2 (duas) legislaturas, pelo o PSDB, e depois de velado na Câmara Municipal, será sepultado no cemitério local, às 17h.

DIÁRIO DO SERTÃO com Patos Metrópole

Tags:

Recomendado para você pelo google

RELAÇÃO COM EMPRESÁRIOS

VÍDEO: Prefeito de Cajazeiras não descarta fazer uma reforma tributária e manda recado para ‘algozes’

SERVIÇO MILITAR

VÍDEO: Quase 100 novos atiradores são incorporados ao Tiro de Guerra de Cajazeiras durante solenidade

TRIMESTRE CHUVOSO

VÍDEO: Açude Grande de Cajazeiras sangra pela primeira vez em 2019 e traz esperança para a população

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras