header top bar

section content

Exclusivo: Estuprador tenta invadir casas em Sousa; alvo é sexo com mulheres e crianças

O Comandante do 14°BPM falou que a Polícia Militar está realizando rondas diariamente no residencial Sousa I. Veja o vídeo!

Por

15/08/2014 às 07h57

"Chicola" está aterrorizando os moradores

A população do conjunto habitacional Sousa I está vivendo dias de terror. Segundo os moradores, o estuprador Francisco Ribeiro de Sousa, conhecido como “Chicola”, 54 anos, está tentando abusar das mulheres e crianças daquela comunidade.

O acusado conseguiu fugir da Colônia Penal de Sousa no dia 26 de maio de 2013, e até o momento não foi encontrado pela Polícia. Chicola já responder por vários crimes de estupro. No ano de 2009 ele abusou sexualmente de uma criança na cidade de Sousa.

Em entrevista exclusiva ao portal Diário do Sertão, uma moradora que não quis se identificar, falou que o acusado já tentou entrar uma residência na comunidade, mas o esposo da mulher estava em casa e conseguiu evitar a invasão. “Nós vivemos trancados em casa, temos filhos e estamos com medo desse homem invadir as residências. São dias de muita insegurança”, falou a doméstica.

Polícia nas ruas
O comandante do 14° Batalhão de Polícia Militar em Sousa, Major Nicolau Terceiro, falou que a Polícia Militar está realizando rondas diariamente no residencial Sousa I para tentar prender esse acusado. “Se algum morador tiver informações sobre o Chicola, ligue imediatamente para o número de emergência 190 que a polícia militar irá ao local”, destacou o comandante.

Veja vídeo!

?DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

RELAÇÃO COM EMPRESÁRIOS

VÍDEO: Prefeito de Cajazeiras não descarta fazer uma reforma tributária e manda recado para ‘algozes’

SERVIÇO MILITAR

VÍDEO: Quase 100 novos atiradores são incorporados ao Tiro de Guerra de Cajazeiras durante solenidade

TRIMESTRE CHUVOSO

VÍDEO: Açude Grande de Cajazeiras sangra pela primeira vez em 2019 e traz esperança para a população

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras