header top bar

string(13) "diario-sertao"

section content

Soldado do Corpo de Bombeiros da cidade de Sousa sofre atentado de morte no carnaval fora de época

O soldado sofreu tentativa de homicídio nas primeiras horas da manhã desta segunda. Dois foliões arrastaram Joacyr em um veículo por cerca de 1 km.

Por

16/05/2011 às 07h22

No maior carnaval fora de época do Sertão, “O Sousa Folia”, o soldado do Corpo de Bombeiros, Joacyr sofreu uma tentativa de homicídio nas primeiras horas desta segunda-feira (16).

De acordo com informações da Polícia Militar, o empresário Itálo Vinícius Fernandes Amorim, 20 anos, residente na cidade de Caraúbas (RN) e o construtor, Lauro Victor De Barros, 21 anos, morador de João Pessoa, procuraram uma ambulância do Corpo de Bombeiros afirmando que alguns foliões se encontravam com o pé quebrado, e pediram gelo para colocar no pé das supostas pessoas, mas o soldado informou que não tinha gelo.

A PM informou que os jovens, inconformados com a negativa de Joacyr passaram a proferir palavrões contra a vítima e em seguida entraram em um veículo Mis Utilitário Jipe, de placas NGI-0750-RN e saíram arrastando com o veículo o soldado por aproximadamente um quilômetro.

Os companheiros de Joacyr saíram em perseguição dos acusados e conseguiram alcançar os jovens e o veículo. Segundo a PM, o condutor estava apresentando fortes e visíveis sintomas de embriaguez alcoólica e do veículo vários litros de bebidas.

A polícia encaminhou os acusados a delegacia e o soldado foi socorrido com várias escoriações pelo corpo.

DIÁRIO DO SERTÃO
 

Tags:
BLACK FIADO

VÍDEO: Conheça a versão mais popular da Black Friday que agita o comércio de Cajazeiras durante 30 dias

DESTAQUES DA SEMANA

VÍDEO: Repercussão da entrevista de José Aldemir encabeça as polêmicas do Direto ao Ponto desta terça

PROGRAMA DE MÚSICA

VÍDEO: Confira as novidades que vêm aí na nova temporada do Acústico Diário com cantor cajazeirense

VÍDEO

Secretário responde a sindicato e diz que acusações contra prefeito de Cajazeiras podem parar na Justiça