header top bar

section content

Menina é achada morta dentro de micro-ondas

Uma menina de sete anos foi encontrada morta dentro de um aparelho de micro-ondas neste domingo em São José, município da região metropolitana de Florianópolis. A polícia investiga o caso e ainda aguarda laudos que possam apontar se a morte foi acidental. De acordo com as informações da Polícia Civil, Terezinha Aparecida Santos foi encontrada […]

Por

14/09/2009 às 10h57

Uma menina de sete anos foi encontrada morta dentro de um aparelho de micro-ondas neste domingo em São José, município da região metropolitana de Florianópolis. A polícia investiga o caso e ainda aguarda laudos que possam apontar se a morte foi acidental.

De acordo com as informações da Polícia Civil, Terezinha Aparecida Santos foi encontrada pela irmã, de 10 anos, trancada dentro de um aparelho já sem uso que ficava no interior de uma casa de bonecas no sítio da família.

A mãe da garota havia dado falta da filha no final da manhã e uma busca chegou a ser organizada com a ajuda dos vizinhos em toda a região. A Polícia Militar foi acionada e a procura só terminou quatro horas depois, quando Terezinha foi encontrada já sem sem vida dentro do forno micro-ondas.

Os investigadores da Central de Polícia Civil de São José aguardam um laudo da Instituto Geral de Perícias sobre o caso. A principal dúvida é sobre como a menina teria entrado e se trancado dentro de um micro-ondas. Não estaria descartada a possibilidade dela ter sido assassinada, mas os policiais ainda trabalham com a hipótese de morte acidental por asfixia.

Fonte: Portal Terra

Tags:

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras diz que “pobreza se avoluma cada vez mais nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’