header top bar

section content

Deputado assegura que Carlos era parceiro de Justino e diz: “Até o século XXII ele não será mais nada”

José Aldemir disse que Carlos Antonio é condenado por improbidade e que não é cidadão, pois não tem direito de votar nem de ser votado.

Por Luzia de Sousa

17/02/2016 às 19h13 • atualizado em 18/02/2016 às 19h44

Deputado não responde ao ex-prefeito de Cajazeiras

O deputado José Aldemir (PEN) comentou nessa terça-feira (16), a reportagem do Fantástico da Rede Globo sobre a Operação Andaime deflagrada no ano passado pelo Ministério Público Federal da cidade de Sousa. Segundo o parlamentar, Cajazeiras nunca havia passado tanto vexame como agora, que é visitada constantemente pela Polícia Federal e mais recentemente pela mídia nacional.

De acordo com o deputado, o quadro Cadê o Dinheiro Que Estava Aqui constatou obras superfaturadas, licitações fraudulentas e uso de material e equipamentos da prefeitura para realizar obras licitadas no critério de fraude.

Perguntado sobre a alegação do ex-prefeito Carlos Antonio de que a prefeitura de Cajazeiras não está envolvida da Andaime, o deputado alfinetou: “É o direito de estribuchar”.

Segundo Zé Aldemir, o ex-prefeito demonstrou destempero e desequilíbrio quando “esculhambou com Justino que era seu parceiro”, adiantando que Carlos Antonio e sua esposa, a atual prefeita Denise Albuquerque posavam para fotos com o delator da operação, Francisco Justino.

“As fotos mostram a prefeita dando ordem de serviço a Justino. Contra fatos não há argumentos”, declarou o deputado assegurando que Justiça já condenou Carlos Antonio por improbidade e que atualmente ele não é cidadão, pois não tem direito de votar nem de ser votado.

“Até o século XXII ele não poderá ser candidato a mandato eletivo nenhum nem exercer cargo comissionado em qualquer instância da federação”, disparou o deputado.

Na entrevista à imprensa de Cajazeiras, Carlos Antonio teria tachado Francisco Justino de “bandido”. O construtor reagiu e pediu direito de resposta na mesma emissora.

Ouça entrevista de Zé Aldemir ao jornalista Antônio Malvino da Rádio Sanhauá!

Crime
Zé Aldemir informou que a exemplo dos oposicionistas, o jornalista Adjamilton Pereira (PMDB), dos vereadores Alysson Lira (Neguim do Mondrian-PDT) e Jucinério Félix (PPS), que procuram a delegacia de polícia e registraram uma denúncia dando conta da criação de um grupo na rede WhatsApp intitulado “Pois Zé Muda Cajazeiras”.

Denúncia_WhatsApp

Vereadores ao lado do advogado Adjamilton Pereira na delegacia prestando queixa sobre as mensagens falsas

Segundo os oposicionistas, o grupo foi criado depois da meia noite do domingo (14), com os quatro componentes e trocaram mensagens entre si durante a madrugada, que pressionaria Zé Aldemir a assumir a pré-candidatura a prefeito de Cajazeiras, além de passar a idéia que estariam escanteando o ex-deputado Vituriano de Abreu (PMDB).

O jornalista, o deputado e os vereadores asseguram que nunca participaram desse grupo na rede social e o caso também será investigado pela delegacia de crimes cibernéticos.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

FICOU PRESO ÀS FERRAGENS

PRF conta detalhes do acidente que vitimou vendedor da Região de Cajazeiras e deixou mulher ferida

VÍDEO

Aliado do governador bate de frente com presidente da CDL e garante funcionamento do IPC em Cajazeiras

NOVOS RUMOS

VÍDEO: Em Patos, assembleia da Paraíba debate sustentabilidade e desenvolvimento regional no Sertão

SUCESSO

VÍDEO: Mensagem Empresarial mostra história de um dos maiores empresários e empreendedores de Cajazeiras