header top bar

section content

Manicure cajazeirense morre em Sousa após vencer luta contra o câncer; ela era muito querida na cidade

Marta lutou contra um câncer, fez tratamento na cidade de João Pessoa, esteve em estado grave, mas conseguiu vencer a doença.

Por Luzia de Sousa

24/09/2018 às 07h27 • atualizado em 24/09/2018 às 07h56

Marta faleceu na cidade de Sousa (Foto: Arquivo pessoa)

Faleceu nesse domingo (23), na cidade de Sousa, a manicure cajazeirense, Marta Suely Nogueira, 50 anos de idade. Ela foi vítima de AVC, não resistiu e foi a óbito.

VEJA MAIS!

TRAGÉDIA: Adolescente cajazeirense ‘chora’ perda do pai no dia do seu aniversário e deixa mensagem

+ VÍDEO: Identificada vítima fatal do acidente na BR 230 em Cajazeiras; segunda vítima é levada ao HRC

+ COMOÇÃO: Desespero e dor marcam último adeus a dois moradores de Cajazeiras vítimas de tragédias

Marta lutou contra um câncer, fez tratamento na cidade de João Pessoa, esteve em estado grave, mas conseguiu vencer a doença.

Ela retornou para o Sertão da Paraíba curada, ficou em Sousa com sua filha para se cuidar mais, porém sofreu um AVC e acabou falecendo.

Muito conhecida em Cajazeiras, Marta atendia seus clientes em domicílio e era totalmente dedicada à profissão. Ela era filha de Dona Maria Nogueira, também muito conhecida em Cajazeiras.

Marta na campanha contra o câncer de mama (Foto: Arquivo pessoal)

O corpo da manicure está sendo velado na Central São Sebastião próximo a Escola de Carmelita e será sepultado às 10h desta segunda-feia (24), no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Cajazeiras.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’

ANALISAR MELHOR FORMA

Presidente da OAB Nacional diz que irá discutir modelo legal para a questão do armamento no Brasil

PARTICIPE!

Retiro de Carnaval de Pombal recebe adesão de fiéis para a execução do maior evento religioso da cidade

SANTA MARIA

VÍDEO: Faculdade de Cajazeiras é contraponto a injustiças sociais e falta de ‘gentilezas’, diz diretora