header top bar

section content

Previsão se confirma e estudioso prevê mais chuva na região de Patos, no sertão do estado

A previsão do estudioso é de chover acima da média na cidade em janeiro de 2019, ou seja, acima dos 66 mm.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

06/01/2019 às 12h38

A previsão do estudioso é de chover acima da média na cidade em janeiro de 2019

A previsão do físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira, de que iria chover na região de Patos entre os dias 03 e 04 de janeiro se confirmou.

Agora o estudioso prevê mais chuvas na região entre sábado (05) e segunda-feira (07).

A previsão do estudioso é de chover acima da média na cidade em janeiro de 2019, ou seja, acima dos 66 mm.

Durante a tarde de sexta-feira (04), mas causou bastante estrago na cidade. A chuva de pouco mais de 30 minutos veio acompanhada de fortes ventos, que conseguiu derrubar árvores e até a antena de rádio da Polícia Militar.

+ Chuva acompanhada de fortes ventos derrubam árvores e antena de rádio da Polícia Militar no Sertão

A chuva de pouco mais de 30 minutos veio acompanhada de fortes ventos, que conseguiu derrubar árvores e até a antena de rádio da Polícia Militar.

Vejam os índices oficiais da chuva até o dia 04/01:

Palmeirão (oficial) (vizinho a vila dos lagos) 18,6 mm

Patos (oficial) pluviômetro da Embrapa: 39,0 mm.

Previsão

Janeiro é o terceiro e último mês da pré-estação chuvosa do semiárido do setor norte do Nordeste. Dessa forma, as regiões de Patos, Pombal, Sousa e Cajazeiras poderão ter de volta as chuvas nos próximos dias.

DIÁRIO DO SERTÃO

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo traz resumo da 2ª rodada do Paraibano e detalhes da nova contratação do Atlético

COM CHICO CARDOSO

VÍDEO: ‘Briga’ entre Zé Aldemir e Airton, e Tyrone com os Gadelhas são os destaques do Direto ao Ponto

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Advogadas tiram dúvidas sobre Previdência Social e criticam atendimento no INSS de Cajazeiras

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Júnior e Jeová começam a ganhar cargos em Cajazeiras e “sinal vermelho foi ligado”, diz colunista