header top bar

section content

VÍDEO: Advogado de médico do HRC garante que atendimento a jovem que perdeu bebê foi feito corretamente

Advogado Hugo Napoleão diz que médico João Fábio teve todos os cuidados necessários para que o parto transcorresse sem riscos para a saúde da mãe e do bebê

Por Jocivan Pinheiro

12/07/2019 às 16h59 • atualizado em 12/07/2019 às 17h08

O advogado do médico João Fábio prestou entrevista à TV Diário do Sertão para dar a versão do seu cliente sobre o caso de uma jovem que deu entrada na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, no Hospital Regional de Cajazeiras, na tarde do dia 26 de junho, para ganhar neném, mas teve complicações no parto que ocasionaram a morte da criança 12 dias depois na UTI Neonatal da Maternidade de Patos.

Fernanda Pereira Freitas, 27 anos, disse estar disposta a acionar a justiça contra o médico, que ela acusa de ter sido negligente durante o atendimento porque ele teria insistido no parto natural por muito tempo.

No entanto, o advogado Hugo Napoleão garante que seu cliente teve todos os cuidados necessários para que o parto transcorresse sem riscos para a saúde da mãe e do bebê, e que esses cuidados podem ser conferidos no prontuário disponível no Hospital Regional de Cajazeiras (com cópia deixada na sede da TV Diário do Sertão).

“Os cuidados que doutor João Fábio teve com a criança seguiram todas as normas técnicas e tudo que a medicina manda. Além do que, todos os prontuários médicos estão disponíveis tanto no hospital como tem uma cópia aqui na redação do jornal. O médico mostra todos os passos, tudo que ele fez, ou seja, o médico fez tudo para que a criança nascesse bem, para que a mãe ficasse bem. Infelizmente, por uma situação do destino, a criança veio a falecer”.

Hugo Napoleão, advogado do médico João Fábio

Hugo Napoleão afirma que o médico estava de plantão à disposição, mas só foi chamado para atender a paciente às 20h. Após isso, a jovem passou a ser avaliada por João Fábio a cada meia hora. O advogado explica que o fato de a paciente já ter tido um filho através de cesariana há cerca de 8 anos não a impede de se submeter a partos naturais. No entanto, quando o médico percebeu que a jovem não estava conseguindo ter forças para o parto natural, ele a encaminhou imediatamente para a cirurgia cesárea.

“Diante da situação, doutor João Fábio detectou uma redução nos batimentos cardíacos da criança. Nesse momento, com o cuidado que ele estava tendo com a mãe e com a criança, ele encaminhou urgentemente para que fosse feita a cesárea. Não tinha mais o que esperar para fazer o parto normal”, disse o advogado.

“É uma tragédia. Perder um filho assim é muito complicado, muito doloroso para a mãe e para a família. Mas eu gostaria de deixar a nossa solidariedade. Falo em meu nome, do doutor João Fábio e de toda sua família que se solidariza com a senhora diante da sua perda. Mas tudo que era preciso ser feito, todo o cuidado que a senhora precisava ter, foi prestado pelo doutor João Fábio no seu atendimento no hospital”, completou.

O advogado ressalta ainda que João Fábio é especialista em obstetrícia pelo Instituto Médico Infantil de Pernambuco (IMIP), um dos mais bem conceituados do Brasil: “Ele tem uma qualificação extrema. Ele sabe o que faz. Ele estudou para isso e tem experiência vasta nesse assunto.

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

ENTREVISTA

Presidenta do Coren diz que enfermeiro pode ter clínica, luta pelo piso salarial e fala sobre concursos

POSSÍVEL CANDIDATO

VÍDEO: Ex-prefeito de Cachoeira dos Índios revela quais os ‘vices dos sonhos’ para sua chapa em 2020

AVENIDA LOTADA

VÍDEO: Show de comunidade católica famosa em todo o Brasil reúne multidão em São José de Piranhas

PREFEITO DE MONTE HOREBE

VÍDEO: Marcos Eron admite querer a reeleição, nega distanciamento da vice e manda recado para oposição