header top bar

section content

VÍDEO: Família com duas crianças é abandonada na região de Cajazeiras e pede ajuda para ir para casa

Sem dinheiro, eles embarcaram em um ônibus clandestino, mas ao invés de o motorista deixá-los no seu destino final, eles foram abandonados no Sertão do estado

Por Jocivan Pinheiro

14/01/2020 às 16h26 • atualizado em 14/01/2020 às 16h36

Depois de enfrentar dificuldades financeiras em São Paulo, uma família paraibana resolveu voltar para a casa de familiares em Santa Rita, município localizado na região metropolitana de João Pessoa.

Sem dinheiro, a família embarcou em um ônibus clandestino. Só que, ao invés de o motorista deixá-los em Santa Rita, eles foram abandonados na cidade de Cachoeira dos Índios, na região de Cajazeiras, distante quase 500 km do destino final da família.

São quatro pessoas: pai, mãe e duas filhas crianças. Durante participação em um programa da Rádio Arapuan FM, o pai das crianças, o senhor Esmael Santana, fez um apelo emocionado para conseguir ajuda para chegar no seu destino final, que é Santa Rita.

“Eu queria pelo menos que alguém me ajudasse para mim [sic] pegar o ônibus, para pagar a passagem deu [sic], da minha esposa e das minhas duas filhas para voltar para minha cidade”.

Após ajuda de populares, eles conseguiram chegar até o terminal rodoviário de Cajazeiras. Quem puder ajudar com alimentação ou dinheiro das passagens, deve procurá-los na própria rodoviária.

VEJA TAMBÉM

Parado em Cajazeiras, caminhoneiro que passará Natal longe de casa deixa mensagem emocionante

Família espera ajuda na rodoviária de Cajazeiras

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana