header top bar

section content

Bezerro nasce com duas cabeças no Sertão da Paraíba, mas não consegue se alimentar

Apesar da anomalia, o parto foi normal e a vaca está bem e não corre risco de morte.

Por

29/11/2015 às 12h57

Bezerro nasceu com duas cabeças (foto: Catolé News)

Um fato curioso aconteceu nas primeiras horas da manhã deste domingo (29/11), no município de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba.

Um bezerro nasceu com duas cabeças em uma chácara, localizada nos arredores do perímetro urbano.

Apesar do animal ter nascido com vida, ele não consegue se alimentar, pois o leite que é colocado em uma das bocas do bezerro, com a ajuda de uma mamadeira, cai por a outra cavidade bucal.

O bezerro, que tem as duas cabeças unidas em um só corpo, possui quatro olhos, três orelhas e dois focinhos. E de acordo com o proprietário da chácara, esta foi a primeira vez que um animal com estas características genéticas nasceu na localidade.

Ainda segundo Pife, vários fatores podem ter influenciado para o bezerro nascer com duas cabeças, como uma mutação genética, consanguinidade ou problemas na divisão do embrião.

Chegando outras ocorrências dessa natureza, constatamos que esses animais não conseguem sobreviver por muito tempo, pois geralmente existe alguma deficiência interna que os impedem de desenvolver. Ubirajara Cortez disse que ainda nessa manhã iria chamar o médico veterinário, Zeno Fixina Barreto, para fazer uma análise detalhada do caso.

Apesar da anomalia, o parto foi normal e a vaca está bem e não corre risco de morte.

DIÁRIO DO SERTÃO com Catolé News

Tags:

Recomendado para você pelo google

PROTESTO

VÍDEO: populares vão às ruas para protestar contra a reforma da Previdência na cidade de Patos

VEJA VÍDEO

Padre de Cajazeiras revela curiosidades sobre o santo casamenteiro: “Faz milagre a pessoa encalhada”

SAÚDE

Dieta milagrosa? Médico diz que a compulsão e afetividade pela comida são perigosas para o emagrecimento

VÍDEO

Mototaxista reclama de multa cobrada na Zona Azul da cidade de Cajazeiras; “Está errado”