header top bar

section content

10 municípios do Vale do Piancó não podem receber transferências voluntárias e operações de crédito

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a lista de inadimplência de municípios no Sadipem, no início do exercício, é sempre muito alta

Por Jocivan Pinheiro

11/02/2021 às 17h19 • atualizado em 11/02/2021 às 17h21

Municípios do Vale do Piancó (PB) precisam atualizar Cadastro da Dívida Pública (CDP)

Entre os 16 municípios que compõem a microrregião do Vale do Piancó, no Sertão paraibano, 10 ainda não atualizaram o Cadastro da Dívida Pública (CDP) no Sistema de Análise da Dívida Pública, Operações de Crédito e Garantias da União, Estados e Municípios (Sadipem). Com isso, eles estão impedidos de receber transferências voluntárias e contratar operações de crédito (a lista completa pode ser consultada em link no final da matéria).

As dez cidades em situação irregular são: Conceição, Coremas, Aguiar, Curral Velho, Diamante, Ibiara, Igaracy, Santana dos Garrotes, São José de Caiana e Serra Grande.

Por outro lado, os seis municípios que atualizaram o CDP e já estão aptos a receber transferências voluntárias e contratar operações de crédito são Itaporanga, Piancó, Boa Ventura, Nova Olinda, Santa Inês e Santana de Mangueira.

VEJA TAMBÉM: 14 municípios da microrregião de Cajazeiras não podem receber transferências voluntárias e operações de crédito

A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que o cadastro da dívida é anual e obrigatório para todos os Entes e deve ser feito preferencialmente pelo profissional responsável pela contabilidade do município, após ser habilitado pelo gestor no próprio sistema do Sadipem. Para ficar em dia com a obrigação é necessário registrar no CDP/Sadipem todas as dívidas, operações de crédito e garantias referentes ao exercício de 2020.

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a lista de inadimplência de municípios no início do exercício é sempre muito alta no que se refere aos itens de atendimento prévios exigíveis pelo Sistema de Informações sobre Requisitos Fiscais (CAUC) para acessar os recursos de transferências voluntárias e se habilitar a contratar operações de crédito.

A CNM explica que isso acontece pela quantidade de obrigações com o prazo de vencimento próximos e dependentes do fechamento de posições do ano anterior; em que muitos casos ainda não estão disponíveis para a administração local em tempo hábil, prejudicando os Entes e gerando perda de recursos importantes para a população.

“Soma-se a esse cenário a mudança de gestão e a descontinuidade das equipes da administração local responsáveis pela disponibilização de documentos e elaboração dos relatórios, bem como problemas envolvendo a certificação digital de novos prefeitos e operadores dos sistemas para assinar os demonstrativos”, completa a CNM.

CONSULTE AQUI A LISTA COMPLETA

DIÁRIO DO SERTÃO

OPINIÃO

VÍDEO: Sociólogo concorda com impeachment contra ministros do STF e explica conjuntura de Bolsonaro

SHOW DE MÚSICAS E SOLIDARIEDADE

VÍDEO: Programa Acústico Diário realiza sorteio de TV Led da Campanha de “O Show não pode parar”

SAÚDE BUCAL

VÍDEO: Odontólogo explica em que período da gestação uma mulher deve ir ao dentista; confira

ESPIRITISMO

VÍDEO: Em um momento de perdas, o Programa Mensagem de Esperança apresenta o tema “A morte não é o fim”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!