header top bar

section content

VÍDEO: Após comportas de Boqueirão serem abertas para reforma e irrigação, pescadores temem falta d’água

Aproveitando a liberação, o DNOCS vai utilizar parte dessa água no perímetro irrigado do Distrito de São Gonçalo. Pescador teme que haja desperdício irreversível

Por Jocivan Pinheiro

06/07/2021 às 16h34 • atualizado em 06/07/2021 às 17h16

Nesta terça-feira, comportas do Açude Engenheiro Avidos (Boqueirão de Piranhas) foram abertas para liberar 14 milhões de m³ de água com autorização da Agência Nacional de Águas (ANA). A manobra é para facilitar o início da obra de reforma da barragem, que está prevista para começar em setembro.

Aproveitando a liberação, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) vai utilizar parte da água nas plantações de frutas, legumes e cereais do perímetro irrigado de São Gonçalo, em Sousa.

O chefe do Departamenro do DNOCS em Marizópolis, Ademir Pereira, justifica que a liberação de água do Açude de Boqueirão para o perímetro irrigado de São Gonçalo sempre aconteceu e dessa vez foi antecipada por causa da obra de reforma da parede do açude.

“Como sempre, Boqueirão é o apoio ao perímetro irrigado de São Gonçalo. Como esse ano não sangrou, vamos  liberar água para São Gonçalo. É costume a gente liberar essa água gradualmente. Por causa dessa obra, vamos liberar 14 milhões [m³] agora e vão ficar 16 para depois de setembro”, explicou.

VEJA TAMBÉM

Após reação da sociedade cajazeirense, DNOCS não vai mais destruir a torre do Açude de Boqueirão

Cpmportas do Açude de Boqueirão

Já o pescador Titico Sousa lamentou a liberação da água porque entende que é um desperdício irreversível: “Está aí a bagaceira. Muitos peixes passando aqui, muita água. Agora eu pergunto: essa água que desce, volta aqui? Nunca mais”.

O chefe do DNOCS em Marizópolis garante que ainda ficará muita água em Boqueirão e que o consumo humano e animal é calculado para não faltar.

“Água de consumo humano e animal é intocável. Tudo que a gente faz, a primeira coisa é calcular esse volume e tirar a do consumo humano e animal. Primeiro do que tudo, consumo humano e animal”, disse Ademir Pereira.

Segundo dados da AESA (Agência Executiva de Gestão das Águas), o volume de Engenheiro Avidos é de 114 milhões de m³ e o consumo anual da população de Cajazeiras, segundo a Cagepa, gira em torno de 14 milhões de m³.

DIÁRIO DO SERTÃO

DURANTE VISITA NO SERTÃO

VÍDEO:Governador responde sobre possível aliança de Veneziano com Cássio: “Prefiro acreditar no senador”

PEDIDO DE SOCORRO

VÍDEO: Há 7 meses sem repasse da prefeitura, ONG que protege animais pode fechar as portas em Sousa

ACUSAÇÕES

VÍDEO: Carlos Antônio rompe o silêncio e alega que Denise perdeu eleição porque Zé Aldemir comprou votos

PREGO BATIDO

VÍDEO: João Azevêdo diz que não haverá na sua chapa políticos que apoiam Bolsonaro: “Essa é uma regra”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!