header top bar

section content

VÍDEO: Homem que dorme em cemitério no Alto Sertão diz que não tem medo: “todo mundo tá morto mesmo”

Clauberto falou ainda da dificuldade de relacionamento no meio familiar, bem como da situação precária com relação à falta de trabalho

Por Luiz Adriano

27/10/2021 às 17h37 • atualizado em 27/10/2021 às 17h38

Durante participação no programa Balanço Diário da TV Diário do Sertão, Clauberto Willame, de 29 anos, que há mais de três anos mora no cemitério de Poço de José de Moura, na região de Cajazeiras, disse que não tem nem um pouco de medo de dormir nas catacumbas.

Ele relatou que é “como se estivesse deitado dentro de casa”. “Lá dentro não tem de que a pessoa ter medo não, todo mundo tá morto mesmo, quem vai mexer comigo?”, indagou.

VEJA TAMBÉM

EXCLUSIVO: TV Diário do Sertão conta história de homem que mora em cemitério e foi abandonado pelos pais

Catacumba onde Clauberto estava dormindo no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, em Poço de José de Moura. (Foto: TV Diário do Sertão).

FAMÍLIA

O rapaz, que é natural de Umari, cidade localizada na região do Centro-Sul cearense, relatou que não tem uma boa relação com seus parentes. Segundo ele, aos quatros anos de idade veio morar na Paraíba e nessa idade sua mãe lhe abandonou. Ele explicou que seu pai foi embora dois anos depois para Brasília e só retornou 17 anos mais tarde.

Clauberto foi criado após os seis anos pelos seus avós que já não vivem mais e conforme ele disse: “moram na mesma casa que eu durmo”, fazendo referência ao cemitério.

TRABALHO

O homem que muitas vezes não se alimenta porque não tem o que comer, detalhou como é a situação de trabalho no município. Os “bicos” que aparecem não dar sequer para comprar a comida necessária, ou seja, não há como ele pagar um aluguel para ter uma moradia digna.

“No máximo que acontece comigo, é um bico aqui acolá…trabalha um dia, um meio dia, ai pronto, acabou-se o serviço, ai já era, ai no outro é a cara para cima…no máximo que consigo ganhar é uns 30 reais, 20 conto, 25”, disse Clauberto ansioso para conseguir uma maneira de sobreviver.

“É só me dar um trabalho, para mim já deu tudo”, destacou.

Momento em que a reportagem chegou à catacumba e Clauberto estava dormindo. (Foto: TV Diário do Sertão).

DIÁRIO DO SERTÃO

ESPETACULAR

VÍDEO: Aposentado de São Gonçalo distribui mudas de plantas frutíferas para várias regiões do país

CAFÉ EMPREENDEDOR

VÍDEO: Psicólogo terapeuta diz que a coisa mais invejada hoje em dia é uma família harmoniosa

FOI INVESTIGADO

VÍDEO: Governador diz que teve a vida ‘virada ao avesso’ pela Operação Calvário, mas nada foi achado

DETECTADA EM CERCA DE 50 PAÍSES

VÍDEO: Ministério da Saúde define estratégias para prevenir aumento de casos da variante ômicron

Recomendado pelo Google: