header top bar

section content

Ministério Público define prioridades sociais

Combate à corrupção, segurança pública, prostituição infantil e conselhos tutelares, evasão escolar e fornecimento de medicamentos e a Estratégia Saúde da Família. Foi esta a ordem de prioridades sociais de atuação uniforme escolhida pelos grupos de promotores de Justiça do Sertão Paraibano, durante encontro, realizado desde ontem (01), na sede do Ministério Público em Cajazeiras […]

Por

02/10/2009 às 16h45

Combate à corrupção, segurança pública, prostituição infantil e conselhos tutelares, evasão escolar e fornecimento de medicamentos e a Estratégia Saúde da Família. Foi esta a ordem de prioridades sociais de atuação uniforme escolhida pelos grupos de promotores de Justiça do Sertão Paraibano, durante encontro, realizado desde ontem (01), na sede do Ministério Público em Cajazeiras e que foi encerrado na manhã desta sexta-feira (2). 

A implantação dos Centros de Apoio Operacional Temático (Caops Temáticos) também foi um tema prontamente atendido pelos promotores que participaram do encontro. Na opinião deles, a proposta foi considerada como a que melhor atende às necessidades da instituição ministerial. 

De acordo com os resultados apontados pelos grupos para o patrimônio público, o tema mais referido foi o combate à corrupção. Já para a cidadania, os aspectos ligados à segurança pública foram mais enfatizados. Na Infância e Juventude, prostituição infantil e estruturação e funcionamento dos conselhos tutelares estiveram em pé de igualdade. A área de educação teve como assunto mais enfatizado a evasão escolar. Por fim, no campo da saúde, o fornecimento de medicamentos excepcionais e a fiscalização da Estratégia de Saúde da Família tiveram primeiro e segundo lugar, respectivamente, em linha de prioridade. 

Na opinião do procurador geral de Justiça, Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, o encontro foi positivo. “Os resultados são excelentes. Pela primeira vez os promotores dessa região estão podendo opinar quais os temas que serão desenvolvidos na área social, quais a prioridades que devemos ter na área institucional. A formatação deste tipo de gestão multiforme deverá ser feita por eles, os promotores e por todos nós integrantes da carreira”, disse. 

Ele destacou ainda a importância do engajamento, a preocupação, o incentivo dos promotores na busca por fórmulas para sair das dificuldades que passam o MPPB. “Eu acho que os resultados foram atingidos. Esperamos que nos outros encontros tenhamos essa mesma dinâmica, porque há uma necessidade premente dos membros de terem uma resposta para as grandes aflições de nossa instituição”. 

De acordo com o procurador de Justiça Doriel Veloso, que responde interinamente pela coordenação do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF), a presença maciça dos promotores do Sertão ao evento demonstra o compromisso que eles têm com o Ministério Público. 

“Eles estão preocupados com a instituição e eu notei no semblante deles muita alegria, pelo fato de contarem com esse ambiente, onde eles pudessem discutir acerca das políticas institucionais. Isso é algo altamente positivo e demonstra uma força, uma determinação, uma vontade dos colegas de quererem participar, de procurar o bom e o melhor para a instituição ministério público”, destacou.

Demais encontros
Estão previstos para serem realizados mais três encontros regionais envolvendo os promotores de Justiça que atuam nas regiões abrangidas pelas cidades de Guarabira (15 e 16/10), Campina Grande (29 e 30/10) e João Pessoa (12 e 13/11). 

Fonte: Ascom Ministério Público

Tags:

Recomendado para você pelo google

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio

CLIMA IDEAL

VÍDEO: Prefeito revela interesse de empresas em instalar parque de energia solar em Monte Horebe

INTERVENÇÃO

VÍDEO: Diretor da SCTrans fala sobre planos para dar segurança aos pedestres em frente à São João Bosco

"QUER ENRICAR AINDA MAIS"

VÍDEO: Pastor de Cajazeiras diz que famoso bispo está vendendo imagens de deusa egípcia na igreja