header top bar

section content

Importante cidade do Sertão é atingida com falta de emprego e população busca alternativas na forte crise

As poucas pessoas que encontramos nas ruas da cidade sertaneja estão distribuindo currículos ou em busca de melhores opções de preços. Vídeo!

Por

15/08/2015 às 16h45

A cidade de Patos, a maior cidade do sertão paraibano e a terceira em população do Estado, com pouco mais de 105 mil habitantes é um dos mais atingidos com a falta de empregos. Basta observar nas ruas do Centro da cidade, que é fácil constatar a pouca presença de pessoas e assim, o comércio quase deserto.

As poucas pessoas que encontramos estão distribuindo currículos ou em busca de melhores opções de preços. Muita gente tem recorrido também aos serviços do Sistema Nacional de Empregos (SINE), localizado no bloco da casa da cidadania, no rodoshopping, em Patos. Lá, os interessados fazem um cadastro e anexam currículo ao banco de dados do SINE. As empresas interessadas buscam, de acordo com as experiências e qualificações do candidato.

A Paraíba tem uma das maiores taxas de desempregos do Brasil, como informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), superando a média do país. Nos três primeiros meses de 2015, a taxa chegou a 9,1% de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). 

O número superou a taxa nacional que ficou em 7,9%, porém, ficou abaixo da média percentual do nordeste em meio por cento. (9,6%). Com pouco dinheiro na mão do consumidor, as vendas no comercio caem e dessa forma, poucos proprietários conseguem manter os funcionários.

DIÁRIO DO SERTÃO com  Patosmetropole.com

Tags:

Recomendado para você pelo google

HOMENAGEM

VÍDEO: Xeque Mate homenageia mototaxistas e entrevista a única mulher mototaxista de Cajazeiras

HOMENAGEM

VÍDEO: Com música ao vivo, programa Diversidade em Foco faz reflexão sobre o Dia das Mães; Assista!

EXCLUSIVO

Presidente reafirma proibição de arma na assembleia, fala da Operação Calvário e cortes de gabinetes

VÍDEO

Governador João Azevêdo fala sobre o afastamento político com Ricardo Coutinho e mudanças no Governo