header top bar

string(11) "show-diario"

section content

Academia faz mal à saúde, afirma a ciência. Saiba o porque!

Se você odeia malhar, chegou a desculpa perfeita: equipamentos comunitários de academia são verdadeiros criadouros de bactérias

Por Superinteressante

04/07/2018 às 09h26

Os perigos da academia (Foto: Painter72/iStock)

Você estava certo de ficar em casa: ir à academia realmente pode fazer mal para você. Mas não é a malhação que prejudica a saúde, e sim o enorme número de bactérias e germes que se escondem nos equipamentos comunitários. Um estudo realizado em estabelecimentos dos Estados Unidos encontrou agentes causadores de pneumonia, infeções de pele e septicemia em alguns dos equipamentos comunitários mais usados.

A pesquisa foi realizada pelo blog fitness FitRated, um portal que avalia equipamentos fitness e academias nos EUA. Com o apoio do laboratório EmLab P&K, foram analisados três estabelecimentos famosos, que têm franquias em todo o país. No total, foram colhidas amostras de 27 objetos diferentes — esteiras, bicicletas ergométricas e pesos livres —, e os resultados são de dar nojo: em cada um desses equipamentos foi encontrada uma média de 1 milhão de germes por cm².

Analisando os materiais separadamente, a coisa fica ainda mais nojenta: só nos pesos livres, os cientistas do laboratório encontraram 362 vezes mais bactérias do que em uma privada de banheiro público — nos painéis das esteiras, são 74 vezes mais. Já nas bicicletas foram descobertos 39 vezes mais agentes causadores de doenças do que uma bandeja de praças de alimentação de shoppings.

Você deve estar pensando “e daí, o mundo inteiro tem germes!”. Isso é verdade, mas o problema é que, pelo menos nas academias testadas, 70% das bactérias encontradas eram prejudiciais à nossa saúde. E as doenças potenciais são preocupantes: havia agentes causadores de pneumonia, septicemia (infecção da corrente sanguínea), infecções dermatológicas, oculares e auriculares. Não se convenceu que a coisa é perigosa? Então, lá vai a cartada final: grande parte dessas bactérias eram resistentes a antibióticos.

Essa nojeira acontece porque limpar os equipamentos entre um usuário e o outro não é uma preocupação nem das academias, nem dos próprios clientes — e a ideia do FitRated ao publicar os dados é justamente conscientizar as pessoas desse problema. Por isso, o blog deixou uma série de dicas para você não se contaminar: lembre de lavar as mãos antes e depois de se exercitar, tente higienizar os equipamentos usando álcool em gel, não ande descalço pela academia, evite tocar o rosto durante os exercícios e tome banho o mais rápido possível depois da malhação (mas isso se você realmente curte fazer academia, né?).

Fonte: https://super.abril.com.br/ciencia/academia-faz-mal-a-saude/

NA PARAÍBA

OPINIÃO: Atraso de salários e falta de obras podem custar derrotas em 2020 a prefeitos do Alto Sertão

FIM DA NOVELA

VÍDEO: Irmãos Lira permanecem no comando do Atlético de Cajazeiras e já anunciam 17 jogadores de fora

REPORTAGEM ESPECIAL

VÍDEO: Igualdade de direitos entre brancos e negros é mito, afirma ativista social de Cajazeiras

OPORTUNIDADE

VÍDEO: Primeira etapa de venda do melhor loteamento do Sertão da PB continua aberta; saiba as vantagens