header top bar

string(11) "show-diario"

section content

8 causas comuns do inchaço na barriga – e como resolver o problema

O excesso de antibióticos é muito perigoso, pois traz mudança na flora digestiva e favorece o aumento de fungos.

Por Cura pela Natureza

29/10/2018 às 07h34

Outras razões por trás do crescimento da barriga

Você sofre com inchaço?

Além do desconforto, esse problema mexe com a autoestima das pessoas. Há várias razões que provocam essa condição.

Confira:

1 Supercrescimento de cândida no intestino

O crescimento em excesso da Candida albinas no intestino tornou-se muito comum hoje em dia.

Isso acontece quando as pessoas abusam no consumo de antibióticos para tratar infecções.

O excesso de antibióticos é muito perigoso, pois traz mudança na flora digestiva e favorece o aumento de fungos.

A cândida provoca a fermentação de alimentos, o que leva aos gases, por isso sentimos o inchaço.

Outras razões por trás do crescimento de levedura são:

– Fadiga

– Compulsão alimentar

– Infecção fúngica da pele

– Névoa cerebral ou maior desejo por açúcar e carboidratos

Para tratar o problema, você pode usar dieta sem açúcar, ingestão de probióticos ou começar a tomar suplementos contra o fermento para restaurar a flora intestinal e se livrar do inchaço.

2. Irregularidades nas refeições

Esta pode ser a principal razão por trás do inchaço, pois muitas pessoas não se alimentam regularmente.

Ou seja, comem quando têm tempo.

Então, se você está comendo em excesso antes de dormir ou passando muito tempo sem comer, esteja ciente de que tudo isso contribui para uma digestão mais lenta.

Para o bom funcionamento do nosso corpo, precisamos de refeições consistentes e regulares.

Isso vai melhorar o metabolismo e fazer o seu sistema digestivo funcionar melhor.

Então, tome café da manhã no máximo uma hora depois de acordar, almoce no fim da manhã e jante antes das 19h.

Você também pode apostar num lanche no meio da tarde ou no meio da manhã, caso sinta fome.

3. Resistência à insulina

O pâncreas produz insulina.

O nível de insulina aumenta após a refeição.

Sendo assim, num adulto saudável, a secreção de insulina ativa as células do corpo para utilizar as gorduras e o açúcar da corrente sanguínea.

Como as células do corpo param de responder, o organismo tende a produzir mais insulina, o que, por sua vez, aumenta os níveis tóxicos de glicose no sangue.

Este fenômeno é denominado como hiperglicemia, ou seja, nível elevado de açúcar no sangue.

Os sintomas mais comuns são:

– Rápido ganho de peso

– Forte desejo por doces e carboidratos

– Sensação de inchaço

– Cansaço após as refeições

Se você tem um histórico familiar de diabetes e tem algum dos sintomas acima, então existe uma grande possibilidade de você sofrer de resistência à insulina.

Você deve fazer um teste de sangue para diagnosticar qualquer problema.

Nesse caso, atividades físicas ajudam muito.

Evite também o consumo de açúcar e carboidratos, prefira investir em vegetais, proteínas, fibras e gorduras saudáveis.

4. Sensibilidade ao glúten

A sensibilidade ao glúten, assim como a doença celíaca, se espalhou amplamente e afeta muitas pessoas hoje em dia.

O trigo vem mudando com o passar dos anos e, infelizmente, as pessoas sensíveis ao glúten enfrentam problemas frequentes como constipação, inchaço, gases e diarreia.

É importante fazer exame de sangue para confirmar se seu problema é mesmo intolerância.

Com o diagnóstico positivo, invista numa dieta livre de glúten por cinco semanas.

Se você se sentir melhor durante esse tempo, então terá a certeza de que o glúten é prejudicial ao seu corpo.

Assim, você deve evitar o consumo de trigo e de alimentos feitos com a farinha desse cereal.

5. Combinações alimentares ruins

Você está ciente de que sua dieta tem impacto na saúde geral do corpo e, principalmente, na digestão, certo?

Não podemos combinar qualquer tipo de comida.

Massa com com carne, por exemplo, é péssimo para a digestão e causa inchaço.

Também é importante evitar a combinação de carboidratos com proteínas.

Você pode administrar isso mantendo o cardápio de aves, peixe, carne com legumes no almoço, e alimentos ricos em carboidratos no jantar, talvez uma batata-doce assada junto com vegetais grelhados.

6. Intolerância ou alergia a alimentos específicos

A intolerância ou alergia alimentar muitas vezes não tem resposta imediata.

Mesmo assim, há grande risco de seu corpo coçar ou inchar depois do consumo de certos alimentos.

Os alimentos que mais causam reações alérgicas são: abacaxi, frutas cítricas, bananas, glúten, laticínios, trigo, ovo, soja e milho.

Um exame de sangue pode detectar facilmente o alimento que lhe provoca efeitos colaterais.

A partir dele, você pode planejar uma dieta mais compatível com seu organismo.

Depois de descartar a comida que faz mal, provavelmente o inchaço rá embora em poucas semanas.

7. Falta de enzimas que facilitam a digestão

A principal função das enzimas é decompor os alimentos em partes menores, de modo que possam ser facilmente absorvidos pelo corpo.

Assim, elas ajudam a dissolver proteínas, carboidratos, gorduras e lactose.

Se o seu corpo não está produzindo enzimas suficientes para a digestão adequada, isso causa dor, inchaço e indigestão.

A falta de enzimas digestivas leva a muitos problemas, como:

– Crescimento excessivo de bactérias

– Alergia alimentar que leva a inflamação de baixo grau no trato intestinal

– Estresse crônico

– Estômago irritado

– Envelhecimento

Algumas pessoas sofrem de deficiência enzimática específica, chamada intolerância à lactose.

Nesses casos, a enzima lactase insuficiente causa problemas para digerir produtos lácteos.

É recomendado um exame para confirmar a intolerância à lactose, ou então você pode reduzir a ingestão de produtos lácteos por duas semanas e observar como o corpo reage.

Como uma solução temporária para o problema, você pode começar a ingestão de enzimas digestivas.

8. Outras causas como infecção bacteriana ou parasita

Muitas pessoas carregam bactérias patogênicas e parasitas em seus tratos digestivos.

Isso é semelhante à infecção por fungos que dificultam o processo de digestão.

As pessoas que viajam para certos lugares com deficiência no saneamento muitas vezes retornam infectadas. No entanto, nem precisa pegar a estrada.

Quando você come fora de casa, por exemplo, pode pegar alguns germes desagradáveis que desequilibram o sistema digestivo. A consequência disso é perda de peso, fadiga e diarreia.

O exame de fezes pode fornecer uma confirmação sobre a presença de bactérias ou parasitas em seu corpo. Depois que o diagnóstico é confirmado, procure um tratamento natural, que seja menos agressivo ao seu corpo.

Fonte: https://www.curapelanatureza.com.br/post/10/2018/8-causas-comuns-do-inchaco-na-barriga-e-como-resolver-o-problema

CLUBE VIVE IMPASSE

VÍDEO – Representante do Atlético em reunião da FPF apresenta fórmula para participar do Paraibano 2019

VÍTIMA DA DIABETES

VÍDEO: Ameaçada de perder o segundo pé, idosa de Cajazeiras pede ajuda para adquirir sandália especial

ASSISTA

VÍDEO: ‘Mensagem de Esperança’ debate o mundo e o mal, sexo e outros temas

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores