header top bar

section content

Globo corta R$ 1 milhão do salário de Galvão Bueno

O contracheque será atualizado a partir do fim de 2019.

Por Metrópoles

06/10/2018 às 13h48 • atualizado em 06/10/2018 às 13h49

Galvão Bueno (Foto: Reprodução)

O salário de Galvão Bueno vai ser reduzido de cerca de R$ 1,5 milhão para R$ 500 mil, afirmou Léo Dias durante a última edição do Fofocalizando, nesta sexta-feira (5/10).

Segundo o jornalista, o contracheque será atualizado a partir do fim de 2019, quando Bueno deverá renovar seu contrato com a emissora carioca. Dias também afirmou que a redução foi ordenada por Roberto Marinho Neto.

Herdeiro do império, ele está sendo preparado para chefiar o Grupo Globo e tem feito cortes em vários salários, especialmente dos narradores. Tanto que Cléber Machado também vai receber menos: de R$ 500 mil, ele passará a ganhar pouco mais de R$ 200 mil.

Regalias perdidas
Galvão já estava com menos moral na Globo antes mesmo do anúncio de que seus rendimentos seriam diminuídos. Isso porque o jornalista vem perdendo várias regalias, inclusive viagens, na empresa. Segundo a colunista Keila Jiminez, quase todos os eventos internacionais estão sendo transmitidos pelos estúdios da transmissora no Rio de Janeiro.

Segundo a emissora, atualmente, apenas os repórteres viajam para cobrir os grande prêmios de Fórmula 1, assim como ocorre com as partidas de futebol internacional. A final da Champions League, por exemplo, foi feita toda com narração off tube, ou seja, fora do estádio.

Fonte: Metrópoles - https://www.metropoles.com/vida-e-estilo/celebridades/globo-corta-r-1-milhao-do-salario-de-galvao-bueno

MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”