header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Conmebol abre investigação sobre presença de Gallardo no vestiário do River contra o Grêmio

Antes mesmo de recurso do Tricolor, entidade irá verificar punição descumprida por treinador

Por GE

01/11/2018 às 08h38 • atualizado em 01/11/2018 às 08h41

Gallardo no vestiário do River contra o Grêmio

Enquanto o Grêmio vai ao Paraguai para pedir os pontos da partida com o River Plate, a Conmebol confirma que irá abrir uma investigação sobre a atuação de Marcelo Gallardo no vestiário na Arena, na vitória dos argentinos por 2 a 1, na noite desta terça-feira, pela Libertadores. O treinador, mesmo punido, foi conversar com os jogadores no intervalo do jogo.

A Unidade Disciplinar da Conmebol abrirá a investigação interna antes mesmo do pedido do Grêmio, que viajou ao Paraguai com uma comitiva liderada pelo presidente Romildo Bolzan Júnior. Gallardo e o River Plate terão um prazo para protocolar a defesa antes da decisão ser expedida.

O técnico do River estava impedido de ir ao vestiário e se comunicar com o elenco do time argentino no estádio durante a semifinal da Libertadores. Mas, por um rádio, esteve em contato com o seu auxiliar e falou com o grupo durante o intervalo, quando o Grêmio vencia por 1 a 0. O Sportv mostrou as imagens do treinador antes da conversa com os seus jogadores. Após o jogo, o próprio Gallardo admitiu que havia descumprido a punição.

O comandante do River Plate foi punido pela Conmebol na segunda-feira, véspera do confronto com o Grêmio, por ter retardado o retorno da equipe argentina no intervaldo do jogo de ida, no Monumental de Núñez – ele já havia sido advertido pelo mesmo motivo depois do jogo com o Racing, também pela Libertadores.

Presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, emitiu um comunicado por meio das redes sociais no qual disse que o Grêmio será “bem-vindo”. Ao mesmo tempo, disse que qualquer reclamação deve ser enviada para a Unidade Disciplinar da instituição.

O Grêmio, por conta disso, irá entrar com o pedido para reversão dos pontos da partida. O clube alega que o treinador influiu diretamente no resultado da partida e usa artigos dos regulamentos da Libertadores e do código disciplinar da Conmebol como argumentos. O presidente cita os casos de Santos e Chapecoense, que perderam os pontos de jogos na Libertadores por escalação irregular de jogadores, como precedentes.

O que dizem os regulamentos
Artigo 115

Ao término do jogo, haverá coletiva de imprensa dos dois times com a maior brevidade possível em relação ao final da partida, que obrigatoriamente contará com a presença do treinador da equipe e um jogador que disputou a partida (que tenha jogado). A ordem das coletivas de imprensa, normalmente será a seguinte:

1º time: time visitante

2º time: time local

§1º – Os jogadores e oficiais expulsos durante a partida ou suspensos, não poderão participar da coletiva de imprensa. No caso do treinador ter sido expulso ou estar suspenso, deverá comparecer à coletiva de imprensa o assistente técnico.

§2º – O descumprimento do presente artigo constitui infração disciplinar encontrando-se facultados os órgãos disciplinares da CONMEBOL a impor as sanções que em conformidade com o Regulamento Disciplinar da CONMEBOL possam corresponder.

Artigo 116

Não é permitida a utilização de nenhum equipamento e/ou sistema de comunicação entre jogadores e/ou comissão técnica durante o jogo.

Regulamento Disciplinar da Conmebol
Artigo 19 – Determinação do resultado de uma partida por responsabilidade ou negligência de uma das equipes

1. Sem prejuízo de outras sanções que possam ser impostas, qualquer equipe por cuja responsabilidade se determine o resultado de uma partida, será considerada como perdedora desse jogo por 3-0. Se o resultado real for menos favorável para o clube ou associação responsável, esse resultado será mantido.

2. Quando as partidas são disputadas de acordo com o sistema de copa (eliminatórias), os gols em campo contrário concedidos na aplicação do parágrafo 1 deste artigo não contarão em dobro.

3. No caso de escalação indevida de um jogador será aplicado o disposto nos parágrafos 1 e 2 do presente artigo unicamente se a equipe contrária interpuser uma reclamação oficial no prazo de vinte e quatro (24) horas uma vez finalizado o jogo, salvo que aquela tenha sido produzida porque o jogador em questão descumpriu uma sanção disciplinar regulamentar, decisão ou ordem dos órgãos judiciais. Neste caso, a Unidade Disciplinar iniciará o procedimento de ofício.

Artigo 56 – Motivos para reclamar contra o resultado de uma partida

1. São motivos para reclamar contra o resultado de uma partida:

a) Escalação indevida.

b) Uma decisão de um oficial de jogo que tenha influenciado no resultado do jogo exclusivamente em supostos de corrupção arbitral.

c) Qualquer outro incidente grave, estabelecido pelo presente Regulamento, que tenha tido influência no resultado da partida.

Artigo 76 – Execução ordinária de suspensões

1. O diretor esportivo/técnico, qualquer membro do corpo técnico ou demais oficiais sancionados com a suspensão de suas funções, poderão presenciar partida(s) na(s) qua(is) esteja vigente sua suspensão unicamente das arquibancadas. Não poderá acessar o vestiário, túnel, banco de reservas ou área técnica antes nem durante a partida, nem poderá por nenhum meio comunicar-se com sua equipe.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/libertadores/noticia/conmebol-abre-investigacao-sobre-presenca-de-gallardo-no-vestiario-do-river-contra-o-gremio.ghtml

PARTICIPE!

VÍDEO: Gerente do Sebrae fala de revolução tecnológica em feira de Cajazeiras e convida empreendedores

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”

A ARTE DO CORPO

VÍDEO: Bailarino que dá aula de dança em Cajazeiras fala da sua trajetória e de projetos para a cidade