header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

Palmeiras luta, mas Boca Juniors chega à final da Libertadores com mais um gol de Benedetto

Quando o time brasileiro pressionava no segundo tempo, atacante argentino saiu do banco outra vez para decretar o 2 a 2

Por GE

01/11/2018 às 08h45 • atualizado em 01/11/2018 às 08h46

Deyverson reclama da arbitragem na arena do Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

O Palmeiras lutou bastante, mas não conseguiu superar o Boca Juniors na noite desta quarta-feira, na arena alviverde, no jogo de volta da semifinal da Libertadores. Com o empate em 2 a 2, o Boca se classificou para a final da competição continental por ter vencido a partida de ida, na Bombonera, por 2 a 0. O gol de empate foi do atacante Benedetto, que já tinha marcado duas vezes em Buenos Aires. E a decisão será argentina: o River Plate eliminou o Grêmio na terça-feira ao ganhar por 2 a 1 em Porto Alegre.

Na última rodada do Grupo 8, ainda sob o comando de Roger Machado, o Palmeiras venceu o Junior Barranquilla na arena por 3 a 1 e garantiu a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores. Mas, por tabela, ajudou a classificar o Boca Junior para as oitavas. Depois do jogo, Felipão foi questionado se o Verdão não deveria ter entregado aquele jogo para eliminar antes o adversário da semifinal… E respondeu na lata:

– Seria uma vergonha mundial. O time do Palmeiras, ou qualquer outro time, tem de jogar futebol e jogar para vencer, como fez. Não existe isso. Temos respeito na profissão – afirmou o técnico.

Será a 11ª final de Libertadores do Boca Juniors: o time argentino tem seis títulos (1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007) e quatro vices (1963, 1979, 2004 e 2012). O Palmeiras foi a quatro decisões (1961, 1968, 1999 – quando ganhou – e 2000).

A Libertadores será decidida por times do mesmo país pela terceira vez, a primeira entre equipes argentinas. As duas anteriores foram brasileiras: São Paulo x Atlético-PR (2005) e Internacional x São Paulo (2006).

Aos 9 minutos do primeiro tempo, quando o jogo ainda estava 0 a 0, Bruno Henrique mandou para a rede uma bola cruzada por Dudu, mas o gol foi anulado com a ajuda do árbitro de vídeo. Um minuto depois, antes de a partida recomeçar, o árbitro colombiano Vilmar Roldán, alertado pelo chileno Julio Bascuñán, marcou impedimento de Deyverson no início da jogada. O juiz nem quis ver o lance no monitor de TV ao lado do campo.

No primeiro tempo, Felipe Melo e Deyverson fizeram o tradicional gesto do árbitro de vídeo pedindo que Roldán fosse verificar o monitor. Aos 26, Felipe Melo tomou cartão amarelo por supostamente acertar uma cotovelada em Pérez – e o volante queria a prova de que não tinha feito nada. Aos 47, Pérez cortou um cruzamento para a área com o braço colado no corpo; Deyverson ficou maluco, mas nem escanteio o juiz deu… Na transmissão da TV Globo, o narrador Galvão Bueno cornetou a arbitragem .

Fonte: https://globoesporte.globo.com/sp/futebol/libertadores/jogo/31-10-2018/palmeiras-boca-juniors.ghtml

PLANOS E METAS

VÍDEO: Cantor explica como pretende administrar o Atlético e declara que o problema do clube é político

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

VÍDEO: Após vistoria técnica, representantes da CBF elogiam o estádio Perpetão: “É um dos melhores”

A ARTE DO CORPO

VÍDEO: Bailarino que dá aula de dança em Cajazeiras fala da sua trajetória e de projetos para a cidade

MÚSICA AO VIVO

VÍDEO: Sucesso no Nordeste, cantor interpreta grandes bandas nacionais e internacionais no Xeque-Mate