header top bar

section content

Deputado quer incluir na pauta da Câmara projeto que beneficia municípios com redução populacional

O projeto já tramitou pelas comissões e pode ser votado a qualquer momento pelo Plenário.

Por

26/04/2011 às 15h27

O deputado federal Wilson Filho (PMDB) defende que o Projeto de Lei Complementar 141/07, do Senado Federal, que adia a redução de receita dos municípios que perderam população no Censo de 2010 seja incluída na pauta do Plenário da Câmara dos Deputados. Na manhã desta terça-feira, cerca de 50 prefeitos ligados à Confederação Nacional dos Municípios esteve com o presidente da Casa, deputado Marco Maia, solicitando a inclusão do projeto na pauta de votações.

O projeto já tramitou pelas comissões e pode ser votado a qualquer momento pelo Plenário, se houver acordo entre os líderes. Os prefeitos dizem que já obtiveram o compromisso dos líderes para a votação da proposta.

Os prefeitos defendem, entretanto, a aprovação de uma emenda com conteúdo equivalente ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 605/10, do deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS). Essa proposta, elaborada a partir de sugestão da CNM, reduz gradualmente os repasses da União para os municípios que perderão recursos a partir de 2011 em razão da perda de população apurada pelo Censo 2010. Pela legislação em vigor, a redução de recursos é imediata.

Os prefeitos argumentam que, para apressar a tramitação, preferem a aprovação do PLP 141 com emenda, em vez do PLP 605, cujo texto eles defendem. Em ambos os casos, a proposta precisará ser votada novamente pelo Senado.

Da secom
 

Tags:

Recomendado para você pelo google

NASCEU DE NOVO!

VÍDEO: condutor-socorrista do SAMU salva bebê que estava engasgado e sem respirar em Patos

ASSISTA À ENTREVISTA

EXCLUSIVO: Em Cajazeiras, Ciro Gomes fala sobre Lula, PT, Bolsonaro, Ricardo, João Azevêdo e eleições

VÍDEO

Empresário revela convite das oposições de Cajazeiras para disputar a prefeitura e derrotar Zé Aldemir

EVENTO CATÓLICO

VÍDEO: I Adora Cristo é sucesso em Cajazeiras, e coordenador da Missão Éfeso acredita em crescimento