header top bar

section content

TJ nega relaxamento de prisão de Carlos Guilherme

O desembargador Nilo Ramalho, o mesmo que decretou a prisão preventiva do promotor Carlos Guilherme no último dia 10, negou o pedido de relaxamento de prisão impetrado por seu advogado Eugênio Nóbrega. Com a decisão, permanece inalterada a situação do promotor, acusado de ter disparado contra o irmão da namorada em Cajazeiras no mês passado. […]

Por

21/07/2009 às 17h51

O desembargador Nilo Ramalho, o mesmo que decretou a prisão preventiva do promotor Carlos Guilherme no último dia 10, negou o pedido de relaxamento de prisão impetrado por seu advogado Eugênio Nóbrega. Com a decisão, permanece inalterada a situação do promotor, acusado de ter disparado contra o irmão da namorada em Cajazeiras no mês passado.

O advogado não quis falar quais foram os argumentos usados pelo desembargador para manter Carlos Guilherme preso. Eugênio Nóbrega afirmou ainda que vai entrar com um novo pedido de habeas corpus, desta vez, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

Enquanto isso o promotor permanecerá em uma cela especial do Centro de ensino da Polícia Militar em Mangabeira. A reportagem do Paraíba1 não conseguiu entrar em contato com desembargador Nilo Ramalho para saber as justificativas da decisão.

Relembre o caso
De acordo com uma queixa registrada na delegacia local, Carlos Guilherme teria disparado um tiro de revólver e atingido o pé do irmão da namorada após uma briga. As duas partes prestaram depoimento à polícia e se disseram vítimas.

O pedreiro Patrício da Silva, de 30 anos, diz que tentou defender a irmã e uma criança de nove anos que teria tido a arma apontada contra sua cabeça. Já o promotor relata que pegou a arma para se defender do cunhado, que estaria embriagado, e que atirou no chão apenas para adverti-lo.

Uma equipe da Polícia Federal (PF) da delegacia da cidade de Patos, no Sertão do Estado, cumpriu, no último dia 13, um mandado de busca e apreensão na residência do promotor Carlos Guilherme Santos Machado, na cidade de Cajazeiras. No local, conforme a polícia, foram apreendidas munições, uma espingarda calibre 12, documentos, um computador e medicamentos.

Fonte: Jornal da Paraíba

Tags:

Recomendado para você pelo google

ENTRE PÚBLICO E PRIVADO

VÍDEO: Empresário revela que quase foi candidato a prefeito de Cajazeiras e explica por que recusou

VÍDEO

Sindicatos batem martelo e definem novo salário dos comerciários de Cajazeiras para 2019-2020

POLÊMICA

Único vereador favorável ao projeto do prefeito para acabar com feriados em Itaporanga justifica voto

CASO RARO

VÍDEO: Mãe dos Trigêmeos nascidos em Cajazeiras fala da surpresa do parto e escolha dos nomes dos bebês