header top bar

section content

Homem agride a pauladas namorada que cantava ‘Saudade do meu ex’

O caso aconteceu em Jerônimo Monteiro, no interior do Espírito Santo. Casal estava junto há dois anos

Por Luzia de Sousa

27/05/2017 às 06h48 • atualizado em 26/05/2017 às 09h59

Homem agrediu namorada (foto ilustrativa)

Um homem de 23 anos agrediu a pauladas a namorada, de 18, por considerar uma afronta o fato dela estar ouvindo a música “Saudade do meu ex”, da cantora Marília Mendonça. O caso aconteceu em Jerônimo Monteiro, no interior do Espírito Santo, e o jovem foi enquadrado na Lei Maria da Penha. Ele responde pelo crime em liberdade.

Na delegacia, a vítima contou que tudo aconteceu após uma briga com o companheiro, com quem vivia há dois anos. Por terceiros, a jovem ficou sabendo que o seu namorado estaria dando carona para uma outra mulher.

Após a discussão, já na casa em que vivem, ela teria colocado a música de Marília Mendonça. Segundo a FolhaVitória, justamente no trecho da canção que diz: “Ai, que saudade do meu ex. Ele que era homem de verdade”, o rapaz , que havia saído depois da discussão, retornou para tentar conversar.

Ao perceber que ela cantava o trecho, ele começou a gritar e a agrediu. Foram dois golpes com um pedaço de madeira, chutes e socos. A vítima chegou a tentar revidar a agressão atirando uma pedra no homem.

Registrado no mês de abril, o caso só foi divulgado pela polícia nesta quinta. Na ocasião, os dois foram ouvidos e liberados. A jovem foi levada para uma unidade hospitalar na região e foi liberada com escoriações pelo corpo, mas não teve ferimentos graves.

O Dia

ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco

SERTÃO PRESTIGIADO

VÍDEO: Com cajazeirense na vice-presidência, OAB-PB empossa os eleitos para comandar a instituição

ÁGUA

VÍDEO: Prefeito de Santa Helena inaugura barragem na comunidade São Bento e açude já acumula água