header top bar

section content

Justiça da Paraíba concede Habeas Corpus e manda libertar advogada de Cajazeiras imediatamente

Ela foi presa preventivamente a pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em 18 de janeiro deste ano.

Por Luzia de Sousa

16/02/2018 às 11h45 • atualizado em 16/02/2018 às 11h52

Advogada fala sobre condenação (Foto: Arquivo Pessoal)

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba concedeu nessa quinta-feira (15), por unanimidade, o Habeas Corpus a favor da advogada cajazeirense, Catharine Rolim. Ela foi presa preventivamente a pedido do Ministério Público da Paraíba (MPPB), em 18 de janeiro deste ano.

SAIBA MAIS!

+ Advogada de Cajazeiras deixa cela do 6º Batalhão de Polícia Militar nesta sexta-feira

ÁUDIO: Após audiência, juiz mantém prisão de advogada de Cajazeiras e presidente da OAB se pronuncia

Os três membros da Câmara do TJ: o juiz Tércio Moura Chaves, o desembargador Arnóbio Teodósio e o juiz convocado Marcos Wiliam afirmaram que a prisão foi desnecessária, e que não estão presentes os requisitos da medida de prisão preventiva contra a operadora do direito.

O TJ encaminhou ofício ao juiz da 1ª Vara da Comarca de Cajazeiras para colocar Catharine Rolim em liberdade imediatamente. O Ministério Público também deu parecer favorável à concessão do Habeas Corpus.

A OAB subseção de Cajazeiras, através do presidente João de Deus Quirino Filho não mediu esforços para acionar a Comissão Estadual de Prerrogativas, que compareceu a todos os atos processuais, inclusive o presidente estadual da comissão Alysson Fortuna, o procurador das prerrogativas, Ítalo Ramon Silva Oliveira e o presidente estadual da OAB Paraíba, Paulo Antônio Maia, se habilitaram na defesa e sustentaram oral na Câmara Criminal.

O advogado que impetrou o habeas corpus foi Coriolano Dias de Sá, expediente e hábil, também responsável pelo sucesso do pedido.

Entenda
O pedido de prisão preventiva foi formulado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), e cumprida pela Polícia Civil, em 18 de janeiro deste ano. No final de janeiro ela conseguiu a reversão da prisão, que estava sendo cumprida em uma cela do 6º Batalhão de Polícia Militar, para prisão domiciliar.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

NA VILA NOVA

VÍDEO: Advogado acusa PM de abuso de autoridade durante blitz em Cajazeiras: “Atitude transloucada”

EVENTOS ATÉ DIA 06/12

VÍDEO: Prefeito de Monte Horebe anuncia pagamento de servidores e programação do aniversário da cidade

ESTELIONATO

VÍDEO: Após dois golpes em banco de Cajazeiras, advogado mostra como vítimas devem buscar seus direitos

FIQUE POR DENTRO

Radialista sousense fala das condenações de ex-prefeitos e visita da PF na casa de empresário no Sertão