header top bar

section content

Cajazeirense ex-funcionária dos Correios morre em incêndio dentro de quarto da sua casa em João Pessoa

Segundo informações de um primo, vítima nasceu em Cajazeiras, residiu na Rua Desembargador Boto e se mudou para JP quando passou no concurso dos Correios

Por Jocivan Pinheiro

11/01/2020 às 20h38 • atualizado em 11/01/2020 às 20h54

Joana D’Arc de Lira tinha 60 anos

A ex-funcionária dos Correios da Paraíba, Joana D’Arc de Lira, de 60 anos, morreu carbonizada num quarto nos fundos da residência onde ela morava com o marido e os filhos, no Bairro dos Bancários, Zona Sul de João Pessoa, na manhã de sexta-feira (10), após o cômodo pegar fogo.

De acordo com informações repassadas ao Diário do Sertão por um primo dela, Joana D’Arc nasceu em Cajazeiras, residiu na Rua Desembargador Boto e se mudou para João Pessoa quando passou no concurso dos Correios, onde trabalhou por quase 30 anos até se aposentar. Na capital ela se casou e teve um filho e uma filha.

VEJA TAMBÉM

Delegado fala da morte de idoso na região de Sousa: “Provavelmente morreu asfixiado pela fumaça”

Ainda de acordo com as informações, o marido de Joana havia saído para comprar medicamentos quando a tragédia aconteceu. Já os filhos estavam em casa, mas quando perceberam o fogo, não havia mais condições de salvá-la. Uma perícia será feita para determinar qual foi a causa do fogo.

O primo da vítima ainda nos informou que ela estava passando por problemas de saúde mental – possivelmente depressão – que se agravou desde que seu pai faleceu há cerca de um mês.

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana