header top bar

section content

Senador recebe prefeitos e reafirma compromisso de viabilizar recursos para abastecimento e infraestrutura

Na reunião, os prefeitos apresentaram ao senador paraibano pleitos para a viabilização de recursos visando o abastecimento de água e infraestrutura

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

14/05/2016 às 23h18

Senador Raimundo Lira se reuniu com prefeitos (foto: ascom)

Em meio a uma agenda apertada no Senado esta semana, por conta das definições do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) recebeu, em seu gabinete, a visita dos prefeitos Allan Feliphe Bastos e Jacinto Bezerra da Silva, das cidades paraibanas de Pedra Branca e Camalaú, respectivamente.

Na reunião, os prefeitos apresentaram ao senador paraibano pleitos para a viabilização de recursos visando o abastecimento de água e infraestrutura das duas cidades e pediram o seu apoio no Senado Federal.

Como tem feito com todos os gestores, Raimundo Lira ouviu atentamente os pedidos dos dois prefeitos e assumiu, de imediato, o compromisso de buscar os meios para concretizá-los.

Sempre cortês e comprometido com o desenvolvimento da Paraíba, ele disse que considera importante dotar os municípios de uma boa infraestrutura hídrica, principalmente nesses difíceis tempos de escassez de água.

Como presidente da Comissão Especial de Acompanhamento das Obras e Revitalização do Rio São Francisco, Raimundo Lira reafirmou que a solução definitiva para o problema hídrico na Paraíba será a concretização da transposição de águas do rio São Francisco.

Assessoria

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio