header top bar

section content

Ministério Público Federal pede sequestro de cinco bens de ex-prefeito do Sertão paraibano

O MPF solicitou à Justiça, ainda, aplicação de medida cautelar de fiança, no valor de R$ R$ 549.830,78.

Por Luzia de Sousa

12/11/2018 às 14h08

MPF da cidade de Patos (Foto da internet)

O Ministério Público Federal (MPF) em Patos pediu o sequestro de cinco bens imóveis de Inácio Roberto Lira Campos, vulgo “Betinho Campos”, ex-prefeito de Cacimba de Areia (PB), com mandato entre 1 de janeiro de 2005 e 31 de dezembro de 2012.

O MPF solicitou à Justiça, ainda, aplicação de medida cautelar de fiança, no valor de R$ R$ 549.830,78. Além do sequestro de bens e pagamento de fiança, o MPF em Patos também ajuizou nova denúncia contra Betinho Campos, desta vez por lavagem de dinheiro envolvendo compras de salas comerciais no edifício Concorde, em João Pessoa, e edifício Milindra, em Patos.

O Ministério Público denuncia que Betinho escondeu patrimônio ilícito, adquirido com recursos da prefeitura, em nome de familiares e namoradas, com usufruto para si. Além da aplicação da pena privativa de liberdade na ação por lavagem de dinheiro e em outros processos, o MPF quer, como condenação pelo ato de lavagem, reparação dos danos e perda do cargo público que Betinho possui na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Operação Dublê – Betinho Campos, assim como o ex-prefeito de Catingueira (PB), José Edvan Félix, além de auxiliares dos ex-gestores e empresários, estão envolvidos na Operação Dublê, que desarticulou um quadro sistemático de fraudes licitatórias e desvios de recursos públicos nos dois municípios, com uso de notas fiscais clonadas. Medidas cautelares contra os dois ex-gestores, a exemplo de proibição de terem acesso às prefeituras, continuam valendo. No entanto, não há ninguém envolvido na operação preso.

Ao todo, a Dublê já tem 45 ações judiciais ajuizadas pelo Ministério Público Federal em Patos, sendo 21 denúncias, duas ações cautelares penais para aplicação de medidas pessoais aos ex-prefeitos e 22 ações de improbidade administrativa. Os valores desviados, em cálculo atualizado, somente nas ações penais, ultrapassam os R$ 17 milhões.

O outro lado
A redação do Diário do Sertão tentou ouvir o ex-prefeito, porém não conseguiu contato, entretanto, deixamos aberto o espaço, caso o ex-gestor sertanejo queira se pronunciar sobre o caso.

A redação do Diário do Sertão

AGLOMERAÇÃO

VEJA: Em visita de Bolsonaro ao Sertão da PB, mulher pede para ele baixar kg do arroz e vídeo viraliza

FUNDADOR DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Morte de Padre Rolim completa 121 anos, e fato ganha minucioso estudo histórico de sacerdote

"FOI UM MILAGRE"

VÍDEO: Avô conta detalhes do caso do bebê que sobreviveu a 7 paradas cardíacas em Cajazeiras e Barbalha

CRIATIVIDADE E PLANEJAMENTO

VÍDEO: Empresário e palestrante conta como fez sucesso inovando com carrinho de pipoca

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!