header top bar

section content

VÍDEO: Professor questiona por que Exército ignora sinais de que clã Bolsonaro se envolve com milícias

O caso do porteiro é visto por muitos como mais um sinal de que a família Bolsonaro tem envolvimento com o crime organizado

Por Jocivan Pinheiro

31/10/2019 às 16h36 • atualizado em 31/10/2019 às 16h42

O caso do porteiro é visto por muitos como mais um sinal de que a família Bolsonaro tem envolvimento com as milícias. E no Direto ao Ponto de hoje, o professor e escritor Carlos Gildemar Pontes questiona por que o Exército, o Supremo Tribunal Federal (STF) e outras instituições ignoram tais sinais.

O Ministério Público endossa a informação divulgada por Carlos Bolsonaro, filho do presidente, de que a suposta voz do porteiro pergunta ao morador da casa 65, do condomínio Vivendas da Barra, se pode liberar a entrada de Élcio de Queiroz. A voz, que seria de Ronnie Lessa, responde que sim.

Mas o que continua sem resposta é por que o porteiro escreveu no registro da portaria que Élcio de Queiroz iria para a casa 58, de Jair Bolsonaro.

Gildemar Pontes, no seu comentário, lança luz sobre os sinais de envolvimento dos Bolsonaro com o crime organizado, questiona a inércia das instituições e alerta para uma possível revolta da população, semelhante à que ocorre no Chile.

VEJA TAMBÉM

Ao se ridicularizar no Japão, Bolsonaro também ridiculariza o povo brasileiro, lamenta Gildemar

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras alerta que “pobreza se avoluma cada vez nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’

NASCEU DE NOVO!

VÍDEO: condutor-socorrista do SAMU salva bebê que estava engasgado e sem respirar em Patos