header top bar

section content

Sem perdão: Deputado do Sertão falta votações na Câmara Federal e tem desfalque no salário. Confira!

Ainda segundo Cláudio Humberto, vários deputados não levaram a sério as advertências do presidente da Câmara e também tiveram descontos.

Por

24/04/2015 às 15h36

Deputado Hugo Motta, da cidade de Patos

A ausência no plenário durante votações na Câmara Federal rendeu ao deputado da cidade de Patos, Sertão do Estado, Hugo Motta (PMDB) um desconto de R$ 7 mil nos seus vencimentos.

A notícia foi veiculada nesta sexta-feira (24), pelo jornalista Cláudio Humberto, em sua coluna Diário do Poder.

Hugo Motta preside a CPI da Petrobras e, diz o colunista, estava enrolado nos trabalhos da comissão, mas mesmo assim não foi ‘perdoado’. 

Ainda segundo Cláudio Humberto, vários deputados não levaram a sério as advertências do presidente da Câmara, Eduardo Cunha e também tiveram descontos nos salários por causa das faltas a votações e “ficaram furiosos”.

Recentemente o presidente da CPI da Petrobras se envolveu numa confusão ao criar quatro sub-relatorias para dividir os trabalhos, atualmente concentrados nas mãos do relator Luiz Sérgio (PT-RJ), sem consultar o plenário.

Confira íntegra das notas publicadas por Cláudio Humberto:
Vários deputados federais não levaram a sério as advertências do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e se surpreenderam com o desconto das faltas a votações. Ficaram furiosos.

O presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), faltou a votações porque estava enrolado nos trabalhos da comissão, mas não foi perdoado: descontaram-lhe R$ 7 mil dos vencimentos.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

VÍDEO

XEQUE MATE: Professores e psiquiatra falam sobre a relação entre Família, Escola e Sociedade; Assista!

COLUNA POLÍTICA

VÍDEO: Viagem de Bolsonaro; paz com Lavoisier e ‘fuga’ de Ricardo Coutinho agitam o Direto ao Ponto

PARAOLÍMPICOS

VÍDEO: Curso em Cajazeiras ajuda professores de Educação Física a trabalharem com alunos com deficiência

EMPRESA INVESTIGADA

VÍDEO: Após inquérito do MPPB, prefeito José Aldemir responde se ainda vai ter concurso em Cajazeiras