header top bar

section content

TCE reprova contas e impõe débito de R$ 43 mil a ex-prefeito; Contas de hospital também foram julgadas

Os processos constantes da pauta de julgamento representavam movimentação de recursos da ordem de R$ 79.286.750,03

Por

04/03/2015 às 16h04

Edilson teve contas reprovadas pelo TCE

O Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (04), reprovou e impôs débito de R$ 43.637,00 por saldo a descoberto ao ex-prefeito de Coremas, Edilson Pereira de Oliveira. Segundo voto do conselheiro Fernando Catão, relator do processo decorrente de inspeção especial realizada no período de 1º de janeiro a 21 de outubro de 2010, nas contas do município. O ex-gestor pode recorrer.

Aprovou
Também em processo de inspeção especial sob relatoria do conselheiro Fernando Catão, o TCE aprovou despesas realizadas em 2011 pelo então diretor do Hospital Regional de Pombal Geraldo Arnaud de Assis Júnior. A Câmara Municipal de Marcação teve aprovadas as contas de 2013.

Os processos constantes da pauta de julgamento representavam movimentação de recursos da ordem de R$ 79.286.750,03. Participaram da sessão conduzida pelo presidente em exercício Arthur Cunha Lima os conselheiros Arnóbio Viana, Nominando Diniz, Fernando Catão, Fábio Nogueira e André Carlo Torres Pontes. Também, os auditores substitutos de conselheiros Antonio Cláudio Silva Santos, Antonio Gomes Vieira Filho e Marcos Costa. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Elvira Samara Pereira de Oliveira.

DIÁRIO DO SERTÃO com TCE

Tags:

Recomendado para você pelo google

MAIS EDUCAÇÃO

VÍDEO: No 2º dia da Mostra de Conhecimentos do N. S. do Carmo, alunos se destacam em temáticas diversas

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: No Mês da Black Friday, concessionária Brazauto oferece preços e formas de pagamento especiais

VÍDEO

Vereador lamenta falta de doação ao Hospital Laureano e acusa prefeito de Pombal: “Virou as costas”

TROVÃO NO BRASILEIRÃO

VÍDEO: Prefeito se compromete a patrocinar o Atlético de Cajazeiras com R$ 20 mil mensais em 2020