header top bar

section content

VÍDEO: Comerciante é sepultado sem direito a velório e com incerteza se teria Covid-19, em Itaporanga

A família do falecido está revoltada por ele ter sido tratado como uma suspeita de Covid-19 sem ter a devida certeza e por esse motivo, ter sido sepultamento de forma imediata, sem direito a velório.

Por Luiz Adriano

25/03/2021 às 21h03 • atualizado em 25/03/2021 às 21h11

O correspondente da TV Diário do Sertão no Vale do Piancó, Cláudio Nepó, deu detalhes durante o programa Olho Vivo nesta quinta-feira (25) sobre o caso de um homem que faleceu na cidade de Itaporanga, durante a madrugada desta quarta-feira (24). Segundo Nepó, trata-se do comerciante Francisco Pereira, conhecido popularmente como Tico do Picolé.

Conforme as informações do jornalista, Francisco teria dado entrada no hospital Distrital de Itaporanga por volta de meia noite se queixando de dores nas costas, “um pouco no meio dos peitos” e faltando a respiração. O paciente teria sido atendido e ficado em observação. De acordo com Nepó, por volta de 2h da madrugada da quarta-feira (24) o homem veio a óbito.

VEJA TAMBÉM

Em Itaporanga, 25 pessoas são detidas por descumprirem decreto de prevenção de contágio pela Covid-19

O que de fato está intrigando a população, em especial a família do falecido é que, Francisco teria sido tratado na unidade hospitalar como uma suspeita de Covid-19 e por esse motivo, por volta das 4h da madrugada foi feito o sepultamento de forma imediata, sem o mesmo ter direito a velório.

O jornalista Cláudio Nepó disse que procurou a Secretária de Saúde de Itaporanga para saber sobre o caso, e a mesma disse que foi feito um teste rápido no paciente e teria dado negativo. Ela também informou que foi realizado o teste conhecido por swab , no entanto, ainda não tem os resultados.

Nepó informou que há questionamentos de que ele possa ter tido um mal súbito. “Ele pode ter tido um infarto dentro do hospital. Vamos aguardar para ver se ele teve covid, mas e se não foi? Ele foi sepultado de 4h da madrugada, a família não teve como velar o corpo, ninguém mais viu, filhos, esposa… se não foi Covid, o que se faz numa hora dessas? É lamentável ter sepultado o rapaz sem ter sido velado pelos familiares”, pontuou o correspondente Cláudio Nepó.

Cláudio Nepó é correspondente da TV Diário do Sertão na região do Vale do Piancó.

DIÁRIO DO SERTÃO

NA PARAÍBA

VÍDEO: Governador fala da vacinação e do pedido de reforço na quantidade de doses ao Ministério da Saúde

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Radialista fala de julgamento no TSE que pode recolocar Allan Seixas como prefeito de Cachoeira

SORRISO NO ROSTO

VÍDEO: Mulher abandonada com os filhos pelo marido recebe ajuda em alimentos e agradece à campanha

FECHADO

VÍDEO: Diretor de fiscalização do CRM revela motivos que levaram à interdição do hospital de São João

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!