header top bar

section content

Casas estão contaminadas com barbeiros; agricultor denuncia Prefeitura: “Querem dinheiro”

O sítio é um dos locais que apresentam maior número de aparição do besouro. Barbeiro foi encontrado em dezenas de residências.

Por

22/12/2014 às 17h03

Agricultor Gilberto Teixeira denunciou o caso

O agricultor Gilberto Teixeira Rodrigues, morador do Sítio Angicos do Catolé, zona rural de Itaporanga, procurou a reportagem do Diário do Sertão neste sábado (20) para denunciar que sua residência está contaminada com barbeiros.

O sítio é um dos locais que apresentam maior número de aparição do besouro. Na comunidade, o barbeiro foi encontrado em dezenas de residências.

O agricultor faz um apelo ao departamento de vigilância epidemiológica do município para que realize atividades de prevenção da doença de Chagas. “Infelizmente os agentes de combate a endemias não fazem o trabalho de combate ao inseto com veneno, eu e minha família estamos correndo risco”, disse.

Ainda segundo Gilberto Teixeira, a Prefeitura está cobrando dos moradores para pulverizar as residências. “Muitos deles querem cobrar R$ 70 para pulverizar as casas, desse jeito não dá”, concluiu.

Perigo
A doença de Chagas sempre esteve associada à zona rural, em especial às populações mais carentes, sem acesso a condições sanitárias adequadas. Sua forma clássica de contaminação ocorre pela picada do barbeiro, um inseto que abriga em seu intestino o parasita Tripanosoma cruzi, causador da infecção. Nos casos mais graves, ela pode levar à insuficiência cardíaca, obrigando o paciente a um transplante de coração.

Ouça áudio!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio