header top bar

section content

No Vale do Piancó: Alunos não recebem farda, nem material escolar; gestão municipal explica

Algumas mães também disseram que, no começo do ano letivo receberam uma lista com o material escolar exigido pela escola

Por

26/05/2014 às 16h57

Alunos de escola municipal em Itaporanga (Foto: folhadovali.com)

Vários pais de alunos da escola municipal Santa Mônica, que está funcionando no prédio da antiga Escola Modelo em Itaporanga, denunciaram na última sexta-feira (23) que seus filhos não receberam fardamento escolar da Prefeitura este ano e afirmaram que, quem quiser usar o uniforme escolar precisa comprá-lo em uma serigrafia indicada pelo município.

Outro problema relatado pelos pais de alunos está relacionado ao material escolar. Segundo eles, este ano a Prefeitura de Itaporanga não distribuiu material didático.

Algumas mães também disseram que, no começo do ano letivo receberam uma lista com o material escolar exigido pela escola e tiveram que atender à solicitação escolar, mesmo diante de todas as dificuldades financeiras, mas nem todas conseguiram comprar tudo.

O outro lado
O chefe de gabinete da Prefeitura de Itaporanga, Wellton Tomaz em contato com a reportagem do Portal Diário do Sertão disse que realmente está havendo um atraso na entrega dos Kits Escolares para escolas municipais, porém, revelou que o problema já está sendo resolvido.

“Estamos aguardando o processo de licitação que está na fase final. A empresa habilitada irá resolver a questão”, disse. Wellton destacou que, no ano passado todos os alunos receberam Kits escolares completos.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo traz resumo da 2ª rodada do Paraibano e detalhes da nova contratação do Atlético

COM CHICO CARDOSO

VÍDEO: ‘Briga’ entre Zé Aldemir e Airton, e Tyrone com os Gadelhas são os destaques do Direto ao Ponto

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Advogadas tiram dúvidas sobre Previdência Social e criticam atendimento no INSS de Cajazeiras

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Júnior e Jeová começam a ganhar cargos em Cajazeiras e “sinal vermelho foi ligado”, diz colunista