header top bar

Tulio Augusto

section content

Qual o seu poder de influência pessoal?

20/04/2019 às 10h20 • atualizado em 21/04/2019 às 15h25

Coluna de Tulio Augusto

Parece uma pergunta simples, mas a resposta pode levar a péssimos ou ótimos resultados. Por isto, sempre que fazemos esta pergunta ouvimos como resposta outra pergunta: influenciar positiva ou negativamente?

Primeiramente gosto sempre de conceituar palavras que parece simples, mas nem sempre é totalmente compreendida por todos.

Influência significa: ação ou efeito de influir; ação de um agente físico sobre alguém ou alguma coisa, suscitando-lhe (fazendo nascer, aparecer) modificações.

É exatamente este o cerne da questão. Como podemos provocar pessoas ao ponto de ajudá-las em suas transformações pessoais, profissionais e psíquicas?

Vejamos um exemplo inesperado de como suas ações, por mais simples que sejam, tem o poder de influenciar positivamente as pessoas:

Liguei hoje para um amigo, professor de medicina, e que coincidentemente estava lendo a obra de Viktor Frankl… Na verdade, desde que postamos nosso último artigo sobre “o sentido da vida”, este amigo simplesmente não para de ler sobre a logoterapia.

Em nosso último artigo falamos sobre “Sucesso ou sentido: o que lhe traz a felicidade?”. E confesso que não esperava que aquele simples artigo iria impactar, influenciar, provocar, instigar alguém a este ponto. Então, já inspirado por nossa conversa sobre diversos assuntos da vida, resolvi refletir sobre o poder de nossa influência… E mais uma vez provocar o nosso leitor sobre um assunto que nunca paramos para analisar, mas que vivenciamos todos os dias. O poder da influência.

Inclusive nunca se ouviu tanto falar em influência como nos dias de hoje… Estamos na era do Digital Influencer, ou seja, são os influenciadores digitais das redes sociais. Sejam eles influenciadores de moda, beleza, fitness, teen, kids, comidas, saúde, estética etc. Vale ainda salientar que influenciador digital virou profissão.

Então vejamos agora a parte técnica dos termos e algumas dicas importantes:

1. Costumo falar que num processo de negociação o influenciador conduz todos os passos e literalmente leva o conduzido pela mão ao alcance de seu objetivo. Então você pode se perguntar: quer dizer que posso ser conduzido mesmo sem perceber ao fechamento de uma compra? À prática de um ato ilícito? Ao contrato de um negócio que não será viável? A resposta é: Não tenha dúvidas disso!

2. Outra coisa que sempre as pessoas confundem é quem tem poder? Já que estamos falando em “poder de influenciar”, se eu sou o cliente, eu tenho o poder, correto? Nem sempre. O cliente tem o poder de decisão (fato), mas já vi tantos vendedores tão bons no que fazem que você termina levando pra casa algo que nem precisava só porque foi literalmente influenciado. Isso já lhe aconteceu? Confesso que comigo já.

3. Precisamos entender que o poder não depende da sua força, da sua função na empresa, de quanto dinheiro você tem… O poder está associado ao ser… Todas estas coisas são na realidade conseqüências do seu poder de conhecimento (saber), poder de persuasão (influência), poder de especialidade (aprender), poder de conquista (querer ser).

4. Entender que a melhor forma de influenciar é ser. O poder da atitude fala mais alto que suas palavras. Não que as palavras não tenham poder… Mas as palavras só surtirão efeito se aquele(a) que as profere tem propriedade para falar. Não funciona e nunca funcionou o ditado “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Assim como um filho pequeno copia gestos e ações dos pais, suas atitudes são percebidas e muitas vezes copiadas pelos outros.

5. A forma de falar, a abordagem, os relacionamentos interpessoais, a cordialidade e a gentileza são fundamentais no processo de influenciar positivamente pessoas.

6. “Muito cuidado com as más influências”. Tenho certeza que você já ouviu esta frase muitas vezes, mas não custa lembrar. Busque valores elevados, não se deixe levar pela vaidade, futilidade ou facilidade. São caminhos sem volta.

“Porque se não dirigirmos nossos pensamentos, cairemos sob a influência daqueles que nos condicionariam para nosso comportamento como desejam”.
Anthony Robbins

Cordialmente,

Tulio Augusto
Professor de Administração de Empresas do IESP Faculdades. Professor Executivo da FGV, Administrador de empresas, Consultor e Palestrante.
Email: tulioaugusto@hotmail.com

Tulio Augusto

Tulio Augusto

Professor de Administração de Empresas do IESP Faculdades. Professor Executivo da FGV, Administrador de empresas, Consultor e Palestrante.

Contato: tulioaugusto@hotmail.com

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras alerta que “pobreza se avoluma cada vez nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’

Tulio Augusto

Tulio Augusto

Professor de Administração de Empresas do IESP Faculdades. Professor Executivo da FGV, Administrador de empresas, Consultor e Palestrante.

Contato: tulioaugusto@hotmail.com