header top bar

section content

Nas redes sociais, amigos e familiares lamentam a morte de Fisioterapeuta que trabalhou em Cajazeiras

Nas redes sociais da jovem, amigos e familiares prestara as últimas homenagens e mandaram mensagens, lamentando a morte prematura da fisioterapeuta

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

17/08/2018 às 11h07

Élis Cristiane Fernandes, de 30 anos, morreu em grave acidente (foto: arquivo pessoal)

Amigos e familiares lamentaram a morte prematura da jovem fisioterapeuta Élis Cristiane Fernandes, de 30 anos.

Élis era natural da cidade de Caraúbas no Rio Grande do Norte, mas trabalhava em Cajazeiras, Sertão da Paraíba, há algum tempo, onde fez vários amigos e colegas de trabalho.

Em suas redes sociais, várias mensagens foram postadas em homenagem a jovem.

A jovem morreu em um grave acidente de carro na BR 405 entre os municípios de Pau dos Ferros e São Francisco do Oeste Potiguar, no Rio Grande do Norte na noite de quinta-feira (16). Élis dirigia o veículo quando acabou perdendo o controle do volante  que saiu da pista e capotou.

Élis Cristiane Fernandes, de 30 anos, morreu em grave acidente (foto: arquivo pessoal)

+ Fisioterapeuta que trabalhava em Cajazeiras morre em acidente e cantora fica gravemente ferida

Ela viajava seguia para Mossoró juntamente com a amiga, a cantora Roberta Coelli, de 28 anos, mais conhecida como “Robertinha Maia”. Robertinha recebeu o socorro pelo SAMU para Pau dos Ferros e foi transferida para o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, e o seu quadro de saúde inspira cuidados.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

BOMBEIROS NO LOCAL

VÍDEO: Incêndio destrói fazenda de vereador em Itaporanga, e funcionário suspeita de ato criminoso

CONSÓRCIO NORDESTE

VÍDEO: João Azevêdo destaca potencial tecnológico de Campina Grande em encontro com empresários alemães

ARMAÇÕES?

Vereador diz que há pressão e intimidação de aliados do prefeito para adesões políticas, mas que não vai se render

NA VILA NOVA

VÍDEO: Advogado acusa PM de abuso de autoridade durante blitz em Cajazeiras: “Atitude transloucada”