header top bar

section content

Municípios do Valé do Piancó receberam quase R$ 10 milhões do primeiro repasse de 2020 do FPM

Confira a tabela e veja de quanto foi o repasse para cada município da região

Por Tanammy Freire

10/01/2020 às 16h12 • atualizado em 10/01/2020 às 16h13

A Paraíba recebeu R$ 110,2 milhões, valor inferior aos R$ 123,4 milhões repassados em janeiro de 2019

O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) é uma transferência constitucional (CF, Art. 159, I, b), da União para os Estados e o Distrito Federal, composto da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Essa distribuição é feita levando em conta o número de habitantes de cada município, e para cada uma delas há um coeficiente individual.

Nessa sexta-feira (10) foi disponibilizado o primeiro repasse do ano da arrecadação obtida entre os dias 20 e 30 de dezembro. Devido à inflação houve uma redução de 10,74% em comparação ao ano anterior.

VEJA TAMBÉM 

Com queda de 19%, municípios da região de Cajazeiras receberam R$ 9 milhões do repasse do FPM

A Paraíba recebeu R$ 110,2 milhões, valor inferior aos R$ 123,4 milhões repassados em janeiro de 2019. O repasse para os 18 municípios da região do Vale do Piancó foi de R$ 9.135.797,84.

A cidade com o maior valor de repasse é Itaporanga, com 11,50% do total disponibilizado para sua região. São José de Caiana e Olho D’água são as cidades que tiveram o menor valor de repasse.

Confira a tabela com o repasse para cada município da região 

Repasse do FPM para os municípios da região do Vale do Piancó

Redação DIÁRIO DO SERTÃO 

Recomendado para você pelo google

PROBLEMA SOCIAL

VÍDEO: Conselho Tutelar notifica pais por causa de crianças pedindo nos semáforos de Cajazeiras

OPÇÃO RELIGIOSA

VÍDEO: Retiro de Carnaval de Pombal anuncia programação da 35° edição com atrações a nível nacional

CAMPEONATO PARAIBANO

VÍDEO: Wesley, Éder Paulista e o técnico Ederson Araújo aprovam estreia do Atlético e elogiam a torcida

FALTA DE COMODIDADE

Professora cobra fiscalização na ocupação de calçadas por comerciantes que interfere a mobilidade urbana