header top bar

section content

INSS vai rever mais de 250 mil aposentadorias por invalidez no país

O país tem três milhões de benefícios do gênero.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

12/07/2016 às 09h40

Perícia: médicos atenderão no começo e no fim do expediente (Foto: Luís Alvarenga)

Mais de 250 mil aposentados por invalidez, em todo o país, serão alvos de novas perícias médicas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a partir de agosto. Nos últimos anos, 256.481 segurados conseguiram seus benefícios por meio de ações judiciais, sem prazo de determinado para a suspensão do pagamento. Esses segurados estão na linha de frente da Medida Provisória (MP) 739, publicada na última sexta-feira, que estabelece a revisão dos benefícios por incapacidade vigentes há mais de dois anos.

Considerando também as aposentadorias por invalidez concedidas administrativamente nas agências do INSS, o país tem três milhões de benefícios do gênero.

Para que todos os exames sejam feitos, os postos do instituto poderão funcionar aos sábados, até com mutirões. Segundo o governo, serão feitas mais de cem mil perícias por mês. Para isso, os médicos receberão R$ 60 a cada exame de revisão.

Para passar pela nova avaliação, que determinará se tem condições de voltar a trabalhar, o aposentado deverá receber uma carta do INSS informando a data para comparecer à agência. Porém, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, ainda não se sabe quando as correspondências começarão a ser enviadas. As regras de convocação ainda serão fixadas por uma portaria interministerial, a ser divulgada até 8 de agosto.

As revisões são combatidas por entidades que defendem os aposentados e são contra “a tentativa do governo de cortar o maior número possível de benefícios”. Nesta semana, a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) enviará um ofício ao INSS, pedindo que as perícias sejam feitas na presença de sindicalistas.
— Queremos garantir que o aposentado tenha um exame correto, para evitar cancelamentos indevidos de benefícios — disse o presidente da entidade, Warley Martins.

Extra

Recomendado para você pelo google

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo fala sobre o Festival de Prêmios do Atlético e do clássico contra o Sousa

MASSACRE DE SUZANO

VÍDEO: Psicóloga fala sobre jogos eletrônicos e ausência da família influenciando tragédias com jovens

O CAMINHO

VÍDEO: Em Pombal, Frei Gilson declara que a Igreja Católica precisa pregar um catolicismo praticante