header top bar

section content

Rômulo lembra na câmara o Dia do Professor

Em pronunciamento na tribuna da câmara, o deputado federal Rômulo Gouveia (PSDB-PB) lembrou o dia do professor, que é comemorado no próximo dia 15 de outubro. “Todos nós temos motivo de sobra para reconhecer a figura do professor, a contribuição do mestre na nossa formação, desde o ensino básico até o superior. Mas temos muito […]

Por

10/10/2009 às 17h45

Em pronunciamento na tribuna da câmara, o deputado federal Rômulo Gouveia (PSDB-PB) lembrou o dia do professor, que é comemorado no próximo dia 15 de outubro.

“Todos nós temos motivo de sobra para reconhecer a figura do professor, a contribuição do mestre na nossa formação, desde o ensino básico até o superior. Mas temos muito mais a discutir quanto à nossa preocupação com o ensino”, falou Rômulo.

O parlamentar paraibano disse que tem efetivamente trabalhado pela educação, como o fortalecimento da Universidade Estadual da Paraíba, “que conquistou a sua autonomia no Governo Cássio Cunha Lima”, e a expansão da Universidade Federal da Paraíba e a de Campina Grande, “recentemente estive na cidade de Sumé para participar da aula inaugural da instalação do campus do Cariri”.

A Paraíba foi um dos primeiros Estados a implantar o Piso Nacional do Professor “que esta Casa aprovou”.

“Trabalhei para isso e fiquei muito mais feliz em saber que foi a Paraíba, o então Governador Cássio Cunha Lima, que deu exemplo ao Brasil quando implantou o piso nacional”, falou o tucano.

Desabafo
O deputado paraibano disse também que em um passado não muito distante o professor estadual tinha tido vitórias, mas em compensação na sua cidade, Campina Grande, o dia do professor será marcado por reivindicações para pedir o cumprimento de conquistas da categoria.

Segundo matéria publicada nos jornais da cidade os professores decidiram ocupar o gabinete do Prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego, na próxima quinta-feira.

A categoria apresentou dois motivos: o primeiro é a progressão vertical, onde os professores do magistério, que têm titulação como mestrado e no período de estágio probatório, com aprovação da tabela tiveram a redução salarial. Ou seja, apesar de terem titulação já deferida, não estão recebendo por elas.

A outra reivindicação é a progressão horizontal que todos os servidores têm direito, a regulamentação por tempo de serviço, mas há professores que trabalham a 20 anos no Município e não receberam o salário inicial.

“Campina Grande é um polo de educação que tem 3 universidades públicas, várias outras universidades privadas e, com certeza, a cidade se decepciona com o tratamento dado aos professores daquele Município, que deveriam ser incentivados para manter funcionando o polo de excelência”, disse Rômulo Gouveia.

Da assessoria

Tags:

Recomendado para você pelo google

EM SOUSA

Radialista revela que “vítima da mão pesada e dos chutes do prefeito Tyrone” disputará eleições em 2020

VÍDEO

Comandante do Corpo de Bombeiros aponta possíveis causas do incêndio no lixão de Cajazeiras

SAÚDE

VÍDEO: Programa Xeque Mate fala sobre a saúde de Cajazeiras e recebe popular e diretoras do HUJB e HRC

REFORMA AGRÁRIA

VÍDEO: Coordenadora da CPT Sertão afirma que terras são um direito dos camponeses e não do agronegócio