header top bar

section content

Pai se revolta após esposa perder bebê e maternidade de Cajazeiras entregar feto dentro de caixa

"O médico não era para ter feito isso não, se fosse o filho dele não queria tá [sic] assim na minha pele. É uma criança", lamentou o pai da criança

Por Luzia de Sousa

01/02/2018 às 23h17 • atualizado em 02/02/2018 às 19h12

O popular Josemário da Silva Barbosa usou à imprensa de Cajazeiras nesta quinta-feira (1), para reclamar do atendimento a sua esposa na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, em Cajazeiras, Sertão da Paraíba.

Ele explicou que procurou atendimento nessa quarta-feira (31), por volta das 12 horas, para a esposa, Maria de Fátima, grávida de mais de três meses, mas não tinha médico, e quando o profissional chegou, mandou aplicar uma injeção e liberou a paciente.

O pai da criança disse que nesta quinta-feira, a esposa passou mal, retornou a maternidade, porém perdeu o bebê.

De acordo com o denunciante, ele foi pedir “o relatório” do atendimento a Maria de Fátima, mas lhe foi negado. O feto foi entregue a Josemário dentro de uma caixa, o que teria causado revolta a família.

“O médico não era para ter feito isso não, se fosse o filho dele não queria tá [sic] assim na minha pele. É uma criança”, lamentou ele.

A denúncia foi feita à Rádio Arapuan de Cajazeiras (Foto reprodução do vídeo)

O outro lado
A assessoria da maternidade, Daniel Oliveira explicou que a mãe estava com 22 semanas de gestação, era portadora de doença renal crônica e estava acometida de uma infecção urinária grave, o que teria causado a morte do feto.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Se reforma da Previdência não cortar privilégios, sociedade deve ‘gritar’ contra ela, diz padre

INFRAESTRUTURA

VÍDEO: Chuvas destroem ruas de Cajazeiras que não são pavimentadas e moradores cobram ação da Prefeitura

VETERANO DA MÚSICA

VÍDEO: Em Cajazeiras, cantor de renome nacional critica sertanejo universitário: “Virou uma baderna”

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’