header top bar

section content

Com apenas duas boas chuvas em Sousa e região, açude de São Gonçalo já aumenta de volume. Confira!

As chuvas isoladas em alguns momentos, e esparsas em outros que estão ocorrendo especificamente no interior da Paraíba desde o corrente dia 22 de novembro

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

11/12/2018 às 13h12

Açude São Gonçalo (foto: Charley Garrido)

Com apenas duas chuvas registradas na região de Sousa, sertão do estado, o açude de São Gonçalo já recebeu uma pequena recarga e aumentou o seu volume.

O manancial que estava com apenas 14,47, de seu volume, passou a ter um total de 14,86% de sua capacidade total que é de 44.600.000 m³. Com esse volume e a continuação de racionamento de água, será possível abastecer toda a região de Sousa até o inicio do inverno.

+ Sousa amanhece nublada após chuva de quase 40 mm ter banhado a cidade durante a noite e madrugada

+ FOTOS: Chove na cidade de Sousa e fortes trovões acordam a população durante as primeiras horas do dia

+ Obras no açude de São Gonçalo são retomadas após polêmicas sobre barragem provisória

Chuva anima população em Sousa

PREVISÃO
Conforme previsão realizada e divulgada dia 29 de outubro pelo físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira, as chuvas isoladas no semiárido do Estado da Paraíba estão ocorrendo, caracterizando a fase de transição de normalidade para El Niño, que está em curso atualmente na região central do Oceano Pacífico Equatorial.

As chuvas isoladas em alguns momentos, e esparsas em outros que estão ocorrendo especificamente no interior da Paraíba desde o corrente dia 22 de novembro, têm a contribuição de umidade das Frentes Frias que estão atuando essa época no sul da Bahia.

Em nota técnica, o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira, explica o fenômeno:

“A Oscilação 30 – 60 dias, é um fenômeno físico associado ao padrão de convecção vigente durante a estação chuvosa das várias regiões brasileiras. O fenômeno consiste na propagação de uma onda planetária de energia em altos níveis na atmosfera da região da Indonésia em direção ao Brasil, se propagando de oeste para leste e que pode inibir a convecção (fenômeno físico responsável pela formação de nuvens precipitantes) se o sinal da oscilação estiver negativo para chuvas em determinado mês, ou favorecer a convecção, se o sinal da oscilação estiver positivo para chuvas num dado mês considerado.

A citada onda planetária de energia, atingiu o Nordeste por volta do dia 22 de novembro e deve continuar provocando chuvas isoladas na região até próximo do dia 10 de dezembro, quando uma nova onda, agora com sinal negativo para chuvas deverá atingir o Nordeste.

Dessa forma Patos, Sousa, Cajazeiras, Pombal e várias outras cidades do interior da Paraíba poderão registrar chuvas nos próximos dias.

O Físico e meteorologista pontua que o final de dezembro e os primeiros dias de janeiro deverão registrar a chegada de uma outra onda de energia, novamente com sinal positivo para chuvas, e que deverá provocar precipitações acima da média no mês de janeiro no interior paraibano.”

DIÁRIO DO SERTÃO

CONTRA A LIBERAÇÃO

VÍDEO: Comandante da PM de Cajazeiras vê risco de aumentar crimes domésticos e fúteis com posse de arma

EM 2020

VÍDEO: Deputado federal sugere que Chico Mendes pode ser candidato a prefeito de Cajazeiras pelo PTB

UNA FREVO 2019

VÍDEO: Com 16 atrações, destaques nacionais e percurso do frevo, carnaval da cidade de Uiraúna é lançado

OS CIRENEUS DO CAMINHO

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança reflete sobre imunização espiritual e como lidar com adversários