header top bar

section content

EXCLUSIVO: Do hospital, Paulo Feitoza revela que quase ficou paraplégico e diz que está vivo por milagre

Radialista voltava de São José de Piranhas para Cajazeiras quando perdeu controle da moto em uma curva da PB-400 e bateu com violência na mureta de proteção

Por Jocivan Pinheiro

22/02/2019 às 16h31 • atualizado em 22/02/2019 às 16h40

O radialista Paulo Feitoza está internato no Hospital Regional de Cajazeiras desde o dia 10 de fevereiro, quando sofreu grave acidente de moto na PB-400.

Ele retornava de São José de Piranhas para Cajazeiras quando perdeu o controle do volante em uma curva e bateu com violência na mureta de proteção.

Em entrevista exclusiva à TV Diário do Sertão no leito hospitalar, Feitoza conta que se não fosse a mureta de proteção, o acidente poderia ter sido fatal.

“Onde eu caí, o pessoal deu depoimentos de que quem cai ali, geralmente não escapa. Então, eu estou vivo aqui por um milagre de Deus porque acredito piamente que Deus tem negócio comigo”, disse.

No entanto, o radialista sofreu fraturas graves no ombro direito e no pé direito, luxação no pescoço e um deslocamento de vértebra que por pouco não o deixou paraplégico.

“Foi o pior momento da minha vida. Só estou vivo hoje por um milagre, por uma dádiva de Deus. Não sei como escapei. Inclusive fiquei desmaiado na PB 400 após o acidente gravíssimo”, recorda.

“É uma lição para mim e para quem está me assistindo. Com moto você não pode brincar, moto é coisa séria, não combina com bebida de maneira alguma. Eu poderia estar agora sendo lembrado pelos amigos num cemitério. Mas por essa razão, eu agora vou seguir num novo modus vivendi, vou mudar de vida”, completa.

VEJA MAISAcidente na BR-230 deixa três feridos e quase termina em tragédia na cidade de Sousa

Paulo Feitoza no Hospital Regional de Cajazeiras

Muitas pessoas demonstraram preocupação quando souberam que Paulo Feitosa havia sofrido grave acidente. No hospital, ele agradece à solidariedade antes de receber alta nesta sexta-feira.

“Gratidão é a palavra-chave. Nós temos dezenove anos de serviços prestados na radiofonia cajazeirense. Para essas pessoas que se manifestaram nas redes sociais e me ligaram, eu só tenho a dizer muito obrigado. Estou deveras lisongeado porque isso é uma energia que nos move pra gente continuar vivendo a cada momento com muito amor e com mais dedicação por aquilo que a gente sabe fazer”.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo fala sobre o Festival de Prêmios do Atlético e do clássico contra o Sousa

MASSACRE DE SUZANO

VÍDEO: Psicóloga fala sobre jogos eletrônicos e ausência da família influenciando tragédias com jovens

O CAMINHO

VÍDEO: Em Pombal, Frei Gilson declara que a Igreja Católica precisa pregar um catolicismo praticante