header top bar

section content

VÍDEO: Município de Sousa tem alto índice de infestação do Aedes Aegypti e risco de surto de doenças

Peixes são colocados em reservatórios de água em vários bairros para que eles comam as larvas do mosquito

Por Redação Diário do Sertão

06/11/2019 às 16h34 • atualizado em 06/11/2019 às 16h49

O município de Sousa, Sertão da Paraíba, está com alto índice de infestação do Aedes aegypti, com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya, de acordo com dados divulgados pela equipe de vigilância em saúde municipal. O Ministério da Saúde alerta que o sistema de vigilância municipal e toda a população devem reforçar os cuidados para combater o mosquito.

No mês de outubro deste ano, 14 bairros foram apontados com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. VEJA A LISTA COMPLETA AQUI

Em entrevista ao Diário do Sertão, a secretária de Saúde municipal, Amanda Silveira, falou dos dados divulgados sobre infestação do Aedes aegypti, mas revelou que estão sendo tomadas todas as providências por parte da equipe de vigilância em saúde:

Peixes comem larvar do mosquito da dengue (foto: DS)

“Estamos trabalhando para reduzir a contaminação por dengue, zica ou chikungunya. Mais de 80% dos casos estão dentro das residências, por isso, é importante que a população faça sua parte para que juntos consigamos vencer o mosquito Aedes aegypti”, destacou Amanda Silveira.

“Peixamento”
A secretária afirmou que todos os pneus espalhados pelos bairro estão sendo recolhidos. Além disso, também foi desenvolvida uma técnica chamada de “peixamento”, ou seja, vários peixes estão sendo colocados em reservatórios de água em vários bairros, para que os peixes comam as larvas do mosquito.

Pneus estão sendo recolhidos em Sousa (Foto: Diário do Sertão)

O LIRAa
A definição do nível de risco de surto é feito através da análise do primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2019. O LIRAa é um instrumento que faz o controle do vetor e das doenças (dengue, zika e chikungunya).

Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante. O objetivo é que, com a realização do levantamento, o município tenham melhor condição de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito.

Clique na imagem para ver a lista completa

4 LIRAa SOUSA OUTUBRO 2019

Redação DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras alerta que “pobreza se avoluma cada vez nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’

NASCEU DE NOVO!

VÍDEO: condutor-socorrista do SAMU salva bebê que estava engasgado e sem respirar em Patos