header top bar

section content

VÍDEO: Vereadora denuncia contratação de quase 600 prestadores na gestão de Tyrone de forma irregular

Segundo a vereadora Bruna Veras, as contratações teriam sido feitas sem o uso do PSS (Processo Seletivo Simplificado) e votadas na Câmara de forma anti-ética

Por Bruno Rafael

07/08/2021 às 13h29 • atualizado em 07/08/2021 às 13h31

Em entrevista prestada ao Olho Vivo da TV Diário do Sertão, a vereadora de oposição da cidade de Sousa, Bruna Veras (PSC), denunciou quase 600 contratações de prestadores de serviço que, segundo ela, teriam sido feitas pela Prefeitura Municipal de Sousa sem o uso do PSS (Processo Seletivo Simplificado).

A vereadora diz que um Projeto de Lei foi aprovado na Câmara de forma imoral e anti-ética para permitir as contratações. Segundo Bruna Veras, o PL foi aprovado enquanto os parlamentares estavam de recesso e em uma sessão extraordinária da qual ela não participou porque não se encontrava na cidade.

“Evidente que foge completamente do padrão, da regra, da ética e da moralidade. Esse Projeto de Lei foi aprovado na Câmara e nós estávamos de recesso. Uma sessão extraordinária foi convocada para a aprovação desse projeto. Eu não estava na cidade no dia da aprovação desse projeto”, disse a vereadora.

Bruna Veras demonstrou surpresa com a forma como o projeto foi colocado em prática. Segundo ela, o objetivo foi empregar aliados políticos do prefeito Fábio Tyrone (Cidadania).

“Para nossa surpresa o projeto tratou de algo que serviu e servirá para atender os aliados do prefeito. Serão 556 contratações que nada tem a ver com o período turbulento que estamos passando por conta da pandemia. Nós não temos um prefeito comprometido com a coisa pública, não temos um prefeito vocacionado”.

VEJA TAMBÉM

Fábio Tyrone nomeia madrasta para cargo na prefeitura de Sousa e é condenado por improbidade

Prefeitura de Sousa

Em outro momento, a vereadora afirma que irá levar o caso ao Ministério Público: “Essa contratação deveria atender às demandas da nossa cidade. Infelizmente estamos diante de mais uma imoralidade praticada pelo prefeito de Sousa. Vamos fiscalizar e, se possível, chamar a atenção do Ministério Público para esse tipo de ato tomado pelo prefeito Tyrone”.

Dentre os 556 prestadores, estão professores que, de acordo com a edição de número 379 do jornal Gazeta de Sousa, receberão salários a partir de R$ 1.100,00. Bruna Veras falou em defesa dos prestadores da educação e afirmou que o debate sobre salário de professores ‘não deveria ser nem de longe um debate público’.

“Mais uma vez está claro que o prefeito não se preocupa na qualidade do serviço prestado aqui em Sousa. Isso é um salário absurdo, professor deve ser bem remunerado, pois as crianças serão o nosso futuro. Salário de professor não deveria ser nem de longe um debate público na nossa cidade, já deveriam estar recebendo dignamente a altura do que é e do que representa um professor”.

Outro lado

Procuramos o secretário de Administração da Prefeitura Municipal de Sousa, Sauly Gomes, que visualizou nossas mensagens, mas até a publicação desta matéria não havia respondido.

O líder do governo na Câmara, vereador Eugenio Rodrigues (PTB), se comprometeu a responder sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria não nos deu retorno.

DIÁRIO DO SERTÃO

NOVA GESTÃO

VÍDEO: Gerente regional de educação destaca projetos em funcionamento em escolas da região de Cajazeiras

LUTO

VÍDEO: Duas mortes durante o fim de semana na cidade de Itaporanga causam comoção no Vale do Piancó

ELEIÇÕES 2022

VÍDEO: “Aceito esta realidade com a cabeça erguida”, diz Doria ao desistir de pré-candidatura

ROMPIDOS

VÍDEO: João Azevêdo diz que Efraim decidiu pelo seu próprio caminho: “Não posso escolher por ninguém”

Recomendado pelo Google: