header top bar

section content

VÍDEO: Docente da UEPB diz que vestígios indígenas achados no Vale do Piancó, podem mudar História da PB

Historiadores defendem até hoje que o povo Tupi só tinha habitado apenas o litoral e suas proximidades. "Vamos ter que reescrever a história da Paraíba e colocar nessa história a presença do Tupi também no Sertão da Paraíba", enfatizou o professor

Por Luiz Adriano

06/08/2022 às 17h56 • atualizado em 06/08/2022 às 18h26

O professor Juvandi de Souza Santos, responsável pelo laboratório de arqueologia e paleontologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), participou do programa Radar Cidade da última quarta-feira (03) e deu detalhes sobre os vestígios indígenas encontrados no Vale do Piancó.

Segundo o docente, o material arqueológico foi identificado inicialmente na cidade de Serra Grande há cerca de 3 anos e meio há 4 anos atrás. Ele explicou que são materiais das tribos Tupi. “São urnas funerárias, são tigelas, fragmentos de ossos humanos, materiais líticos, enfim, um material riquíssimo”, disse Juvandi.

SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS

Segundo o professor, só em Serra Grande já tem cinco sítios arqueológicos com a presença desses materiais, e ao todo, já são 19 localidades rurais no sertão e em outras cidades do interior.

Cerâmicas coletadas em Serra Grande são analisadas pelo Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB – foto: assessoria/UEPB

OS ACHADOS PODEM MUDAR DADOS HISTÓRICOS

O professor explicou que o material é muito rico e pode “até certo ponto mudar um pouco da história da Paraíba”, visto que, os historiadores defendem até hoje que o povo TUPI só tinha habitado apenas o litoral e suas proximidades.

“Esse material meio que bagunçou um pouco a Historia da Paraíba… vamos ter que rever a história da Paraíba, vamos ter que reescrever a história da Paraíba e colocar nessa história a presença do Tupi também no Sertão da Paraíba”, relatou o docente que acredita que supostamente demore um pouco ainda para que esses dados possam entrar nos livros didáticos.

PESQUISAS E DATAS

Juvandi de Souza falou que o material ósseo humano está em um bom estado de conservação e que será enviado para pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFCE) onde eles irão analisar, para tentar identificar supostas doenças que teriam levado os indígenas à morte.

Outros materiais como fragmentos de cerâmica encontrados em Serra Grande, também serão submetidos à pesquisa. Conforme o professor, a análise será feita no laboratório de física na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) no próximo dia 12 de agosto, onde após as ponderações, será possível precisar melhor uma data para os achados.

RADAR CIDADE

O programa Radar Cidade é apresentado por Dida Gonçalves todas às quartas-feiras das 19h às 20h30, sendo produzido pelo site Radar Sertanejo e transmitido ao vivo pela TV Diário do Sertão (canal 3) e pelas multiplataformas Facebook e Youtube.

Veja o programa Radar Cidade da última quarta-feira (03) na íntegra:

DIÁRIO DO SERTÃO

EM SUA OFICINA

VÍDEO: Homem é morto com tiro à queima roupa, tentando defender o irmão durante briga na região de Patos

"INSTITUTO DIVINO"

VÍDEO: No programa Mensagem de Esperança, palestrante explica o que é a família na visão espírita

SORTUDOS

VÍDEO: Mulher de Cajazeiras e homem da região de Pombal são sorteados no Bilhete Social Doação da Sorte

AO VIVO

VÍDEO: Show Diário recebe o ator Ricardo Lacerda, o poeta Gilberto Filho e o cantor Cigano do Arrocha

Recomendado pelo Google: