header top bar

section content

Presos, jovens confessam assassinato no Sertão; Um dele atraiu a vítima para ser morto a socos e pedradas

Os três foram apresentados à autoridade policial e confirmaram suas participações no homicídio. Um deles é menor de 17 anos de idade. Confira!

Por Luzia de Sousa

10/08/2016 às 20h10 • atualizado em 10/08/2016 às 20h13

Dois foram presos e um apreendido nesta quarta-feira

Policiais da Rádio Patrulha do 13º Batalhão conduziram nessa quarta-feira (10) três suspeitos de terem praticado o homicídio do jovem Apolinário Cosmo Moura, que teve o corpo encontrado nas primeiras horas do último domingo (7). Dentre os três acusados, um é menor de 17 anos de idade.

As diligencias policias se iniciaram por volta das 10h da manhã desta quarta-feira (10), quando através do número de emergência, 190, o COPOM do 13º BPM recebeu informações que levaram as guarnições inicialmente ao suspeito, Romário Messias Cirilo, 19 anos, morador Rua São José, em Itaporanga, que confessou o crime e apontou a participação dos outros dois suspeitos, identificados como: Fábio Junior Bezerra de Araújo (Fabinho), de 19 anos, e o menor de idade.

Os três foram apresentados à autoridade policial e confirmaram suas participações no homicídio. Segundo teriam relataram, Fabinho teria levado Apolinário para o local do crime sob o argumento de que iriam comprar drogas, ao chegar no local, Robinho e o menor já estavam lhe esperando, e começaram a espancá-lo a socos e pontapés até o deixarem desacordado, quando finalmente o agrediram de maneira inevitável com pedradas e pauladas.

.

DIÁRIO DO SERTÃO com a PM

Recomendado para você pelo google

COBRA REAJUSTE DE 2018

VÍDEO: Sindicalista elogia Zé Aldemir por salário de professores, mas diz que felicidade é ‘entre aspas’

ANALISAR MELHOR FORMA

Presidente da OAB Nacional diz que irá discutir modelo legal para a questão do armamento no Brasil

PARTICIPE!

Retiro de Carnaval de Pombal recebe adesão de fiéis para a execução do maior evento religioso da cidade

SANTA MARIA

VÍDEO: Faculdade de Cajazeiras é contraponto a injustiças sociais e falta de ‘gentilezas’, diz diretora