header top bar

section content

Momentos de terror! Empresário e advogado sousenses são amarrados durante assalto no Rio Grande do Norte

De acordo com informações da polícia militar, os sousenses retornavam de Natal com destino à cidade de Sousa, quando foram surpreendidos pelos acusados

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

23/01/2018 às 09h32 • atualizado em 23/01/2018 às 12h32

Bandidos fugiram levando documentos e pertences das vítimas

O empresário Jorge Luiz e o advogado Cláudio Diniz passaram momentos de terror na mira de criminosos durante um assalto registrado na noite desta segunda-feira (22) entre as cidades de Caicó e Serra Negra no estado do Rio Grande do Norte.

De acordo com informações da polícia militar, os sousenses retornavam de Natal/RN com destino à cidade de Sousa, quando foram surpreendidos pelos acusados que efetuaram disparos ordenando que eles parassem o veículo. Os assaltantes subtraíram os pertences das vítimas que foram amarradas e deixadas às margens da pista e fugiram no veículo do empresário um Toyota Corolla de cor branca e placas QFJ 3753.

Depois de alguns minutos, Jorge Luiz e Cláudio Diniz conseguiram caminhar por alguns minutos até conseguirem ajuda entrando em contato com a polícia que solicitou apoio dos batalhões no sertão paraibano para tentar localizar os assaltantes que ainda não foram identificados.

Roubo em Sousa
No dia 12 de outubro do ano de 2017, o empresário Jorge foi vítima de um assalto no Centro de Sousa, na qual os criminosos também levaram um outro veículo modelo Hilux.

DIÁRIO DO SERTÃO

Recomendado para você pelo google

EM CAJAZEIRAS

VÍDEO: Ciro diz que Ricardo ‘prejudicou-se na sucessão’, mas elogia Azevêdo: “Seria uma honra no PDT”

PREOCUPADO

VÍDEO: Na Semana dos Pobres, bispo de Cajazeiras diz que “pobreza se avoluma cada vez mais nas cidades”

A OBRA PAROU?

Ex-vereador denuncia que terminal rodoviário de Sousa está abandonado: “Prefeito Tyrone não está nem aí”

PROJETO DE LEI

VÍDEO: Comentarista diz que críticas ao leilão de imóveis da Prefeitura de Cajazeiras é ‘politicagem’