header top bar

section content

VÍDEO! Delegado revela esquema de servidor de fórum que fraudou R$ 1,5 milhão em alvarás judiciais

O valor desviado das contas judiciais está avaliado em cerca de R$ 1,5 milhão, e outros advogados estão sendo investigados por participação na ação

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

09/05/2018 às 15h54 • atualizado em 09/05/2018 às 16h06

Na manhã desta quarta-feira (09), foi realizado na cidade de Sousa, sertão do estado, uma operação da Polícia Civil da Paraíba, que resultou na prisão de um advogado e um servidor público do  Fórum Dr. José Mariz, da Comarca de Sousa.

O advogado e o servidor público são acusados de participar de um esquema de desvio de dinheiro público e peculato.

A Operação Al-Barã, cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão nos fórum e residências dos envolvidos nas cidades de Sousa e Patos. Cerca de 35 policiais civis estiveram empenhados nessa operação.

De acordo com o delegado da 19ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP) em Sousa, Ilamilton Simplício, o esquema era feito através do funcionário do fórum e do advogado, onde eram feitos alvarás judiciais para liberação de dinheiro para outras pessoas, onde a assinatura dos juízes era falsificada, e assim o ‘beneficiado’ ia ao banco com o alvará em mãos, e conseguia sacar o dinheiro.

Operação também prendeu advogado em Patos (foto: reprodução/TV Correio)

A farsa foi descoberta após os envolvidos falsificarem a assinatura de uma juíza recém chegada a cidade e o banco ligar para a mesma para constatar a veracidade da rubrica. Logo após esse episódio, a Polícia passou a investigar e instalar a operação.

Segundo a Polícia Civil, no andar do trabalho investigativo, surgiram indícios de que outros advogados também estariam participando deste esquema.

O valor desviado das contas judiciais está avaliado em cerca de R$ 1,5 milhão.

O material apreendido será encaminhado para a sede da 19ª Delegacia Seccional, em Sousa, e os presos foram encaminhados a Delegacia para aguardar audiência de custódia, depois levados para o batalhão de Polícia Militar em Patos onde cumprirão a pena.

Operação Al-Barã
O nome Al-Barã faz referência à origem etimológica da palavra alvará. A ação contou com cerca de 40 policiais civis e sete delegados. Nesta primeira fase da operação, além dos dois já presos pela Polícia Civil, estão sendo investigados mais três advogados de Sousa.

DIÁRIO DO SERTÃO

RECONHECIMENTO

Prefeito de Sousa garante ajuda mensal ao médico cubano: “Eu irei ajudá-lo em todos os momentos”

"MERECIA MAIS"

VÍDEO: Comentarista critica falta de prestígio de Sousa com o Governo do Estado nas nomeações de cargos

ANTIGO E NOVO

VÍDEO: Secretário e prefeito exibem projeto do novo Museu de Cajazeiras feito por arquiteta cajazeirense

COBRANÇAS INDEVIDAS

VÍDEO: Problemas com empréstimo consignado? Advogado dá orientações para que você não seja negativado