header top bar

section content

Detento tenta matar mulher durante visita íntima em presídio do Sertão da Paraíba, afirma polícia

Vítima foi atingida na barriga e no pescoço; estado de saúde dela é estável, segundo hospital

Por G1 PB

14/11/2018 às 17h44 • atualizado em 14/11/2018 às 17h45

Detento tenta matar companheira durante íntima no presídio de Catolé do Rocha (Foto: Beto Silva/TV Paraíba)

Um detento do Presídio Padrão de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba, tentou matar a companheira durante uma visita íntima. O crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (14), após um desentendimento entre o casal.

Segundo a Polícia Militar, a vítima não foi assassinada porque outros presidiários a ouviram gritando, arrombaram a porta do local onde eles estavam e seguraram o homem. A mulher ainda foi atingida na barriga e no pescoço por uma faca artesanal.

VEJA TAMBÉMDupla investigada por homicídio e roubo é presa após ação da polícia no Sertão da Paraíba

A mulher foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para o Hospital Regional de Catolé do Rocha. Segundo a unidade hospitalar, o estado de saúde dela é estável.

O G1 tentou entrar em contato com a direção do presídio para saber se existe um processo de revista antes das visitas e qual procedimento será tomado para tratar o crime. Enquanto a equipe conversava com o diretor do local, a ligação caiu. Nas tentativas posteriores o telefone do local estava desligado.

Fonte: G1 PB - https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2018/11/14/detento-tenta-matar-mulher-durante-visita-intima-em-presidio-da-paraiba-diz-policia.ghtml

ENTREVISTA EM CAJAZEIRAS

VEJA: Pastor repudia ‘chacotas’ à futura ministra que diz ter visto Jesus em goiabeira: “Deus faz assim”

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Colunista defende deputados de Cajazeiras na disputa por cargos com deputada de João Pessoa

YOUTUBER DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Léo Abreu revela em quais profissões podemos encontrar psicopatas

ESPERANÇA NA POLÍTICA!

VÍDEO: Pastor evangélico fala sobre Bolsonaro: “Ele incorporou o que a sociedade acredita: a família”