header top bar

section content

Policiais envolvidos no assassinato de Gefferson Moura são soltos por determinação judicial

O delegado foi solto na última terça-feira (23) por determinação do STJ e nesta sexta-feira (26) os dois policiais foram soltos após expedição de alvará pelo Juiz da Comarca de Santa Luzia-PB

Por Luiz Adriano

27/11/2021 às 14h43 • atualizado em 27/11/2021 às 14h54

Gefferson Moura foi assassinado em 16 de março deste ano. (Foto: divulgação).

Após a informação na tarde da última terça-feira (23) da soltura do delegado sergipano acusado de ter matado Gefferson Moura, os outros dois policiais envolvidos também foram soltos nesta sexta-feira (26). A confirmação foi anunciada pela defesa dos investigados logo após o pedido ter sido aprovado pelo juiz da Comarca de Santa Luzia-PB.

De acordo com o G1/SE, o advogado Guilherme Maluf informou que logo após o pedido de liberdade do delegado ter sido apreciado e efetuado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), a defesa dos policiais teriam feito uma solicitação ao órgão que fosse realizado o mesmo procedimento com os outros réus. Ele disse que o STJ não teria atendido ao pedido, o que teria motivado a defesa a entrar com um embargo de declaração.

VEJA TAMBÉM

Delegado sergipano acusado de matar Gefferson Moura, é solto após determinação do STJ

“Ao mesmo tempo enviamos ao juiz um pedido de extensão do benefício, considerando que as situações são idênticas e, no dia de hoje, o juiz da Comarca de Santa Luzia (PB) entendendo que as situações são idênticas estendeu, então, o pedido de liberdade, expediu o alvará e concedeu a liberdade aos dois policiais. Então ambos serão colocados em liberdade na data de hoje”, detalhou o jurista.

PRISÃO PREVENTIVA

No último mês de agosto, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba deu provimento a um recurso do Ministério Público Estadual para decretar a prisão preventiva de todos os policiais do Estado de Sergipe envolvidos na morte de Gefferson Moura Gomes, de 32 anos, durante uma operação na Paraíba.

ENTENDIMENTO DO STJ

Conforme a defesa do delegado, o entendimento do STJ é de que a prisão do acusado seria desnecessária por não apresentar risco à sociedade de seu estado, bem como não havia os requisitos necessários da prisão preventiva, entendimento este que se estende aos policiais.

O CRIME

Gefferson Moura foi morto a tiros durante abordagem feita por um delegado da Polícia Civil, um investigador e um policial militar, todos de Sergipe, que estavam tentando cumprir um mandado de prisão em Santa Luzia-PB contra um traficante, no dia 16 de março deste ano.

O delegado é acusado de ter atirado pelo menos oito vezes contra Gefferson. Após o crime, os policiais colocaram o corpo na caçamba de uma camionete descaracterizada e deixou na calçada do Hospital e Maternidade de Santa Luzia.

REVOLTA DA FAMÍLIA

Em uma página do Instagram que a família de Gefferson tem, com o objetivo de enfatizar o caso, foi publicado uma postagem relatando o caso das solturas e demonstrando indignação com a atitude da Justiça. Veja a publicação na íntegra:

DIÁRIO DO SERTÃO

AVALIAÇÃO NEGATIVA

VÍDEO: Presidente do PT municipal critica ausência de Zé Aldemir e diz que Cajazeiras está sem prefeito

MOTIVO DE SAÚDE

VÍDEO: Prefeito de Sousa cancela entrevista após se sentir ‘indisposto’; secretário não confirma Covid

161ª VÍTIMA FATAL

VÍDEO: Idosa de 104 anos morre na cidade de Sousa e exames confirmam que ela tinha Covid-19

EFEITO NAS PESQUISAS

VÍDEO: Militante avalia que Bolsonaro está ‘derretendo’ porque fake news não estão mais surtindo efeito

Recomendado pelo Google: