header top bar

section content

TJ inocenta presidente da Câmara de vereadores de Cajazeiras de condenação, mas mantém multa imposta

A condenação de Marcos Barros se deu por contratação de um técnico de som para a Casa Otacílio Jurema sem concurso público.

Por Luzia de Sousa

26/07/2017 às 08h14 • atualizado em 26/07/2017 às 08h18

Marcos Barros teve contas aprovadas pelo TCE

O Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba acolheu por unanimidade os embargos declaratórios do presidente da Câmara de Cajazeiras, o vereador Marcos Barros (PSB), em ação de condenação por improbidade administrativa.

+ Ex-presidente da Câmara de Cajazeiras tem direitos políticos suspensos e é condenado a perda do mandato

Em decisão proferida pelo TJ no mês novembro do ano passado, vereador teve os direitos políticos suspensos por quatro anos, além da perda da função pública, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de três anos.

Já nessa terça-feira (25), a decisão do tribunal foi reformada, e Marcos Barros foi absolvido das condenações, restando apenas a multa, que foi mantida para que o vereador pague 10 vezes o valor da sua última remuneração quando presidente da Casa Legislativa em 2012.

A condenação de Marcos Barros se deu por contratação de um técnico de som para a Casa Otacílio Jurema sem concurso público e gratificação para três servidores.

DIÁRIO DO SERTÃO

RECONHECIMENTO

Prefeito de Sousa garante ajuda mensal ao médico cubano: “Eu irei ajudá-lo em todos os momentos”

"MERECIA MAIS"

VÍDEO: Comentarista critica falta de prestígio de Sousa com o Governo do Estado nas nomeações de cargos

ANTIGO E NOVO

VÍDEO: Secretário e prefeito exibem projeto do novo Museu de Cajazeiras feito por arquiteta cajazeirense

COBRANÇAS INDEVIDAS

VÍDEO: Problemas com empréstimo consignado? Advogado dá orientações para que você não seja negativado